Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Compra de seringas deveria ter sido preocupação lá atrás, afirma Teich

"Essas idas e vindas são ruins, porque passam uma percepção de falta de planejamento", diz ele ao Radar Econômico

Por Victor Irajá 8 jan 2021, 10h26

Ex-ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, Nelson Teich criticou a lentidão do governo federal para que comprasse agulhas e seringas para a vacinação contra a Covid-19. Segundo ele, as inconsistências de discurso em torno dos acordos — como a fala do presidente de que não as arremataria e a medida provisória que autoriza a compra sem licitação — são nocivas para o país. “Essas idas e vindas são ruins, porque passam uma percepção de falta de planejamento”, diz ele. “Não é fácil trabalhar a vacina”, pondera Teich, em entrevista ao Radar Econômico.

“Desenhar planejamento neste cenário é muito difícil, e não é um problema exclusivo do país, mas em todo o mundo”, afirma o ex-ministro. “Deveríamos ter tido preocupação com a compra de seringas lá atrás, quando se iniciou a fase três dos estudos clínicos”, afirma. “A partir do momento que se tem sinalização de que uma vacina funcionaria era necessário um trabalho intenso para entender o que está acontecendo e se preparar”.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade