Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Como vai ficar a PEC que muda teto de gastos no Senado?

VEJA Mercado: semana começa com a dúvida se mercado já absorveu todo o impacto da mudança do teto de gastos

Por Josette Goulart Atualizado em 25 out 2021, 09h14 - Publicado em 25 out 2021, 08h55

VEJA Mercado | Abertura | 25 de outubro.

A semana vai ser agitada nos mercados com resultado dos juros do Copom, caminhoneiros pressionando por greve, petróleo em alta, resultados das empresas e, claro, o desenrolar sobre a mudança do teto de gastos. A bolsa caiu mais de 7% na semana passada em função das mudanças no teto para abrigar recursos para o Auxílio Brasil e também para as emendas parlamentares, dinheiro que é usado para obras em todo o país e considerado vital pela ala política do governo em ano de eleições. O arranjo foi costurado por meio da PEC dos precatórios que tramita na Câmara dos Deputados, mas ainda não se sabe como o Senado, que vem derrubando sistematicamente os projetos do governo, vai lidar com a PEC. Na sexta-feira, se falava que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, havia chegado em um consenso com os líderes para dar um bom encaminhamento na pauta. Mas como disseram pessoas próximas ao senador à coluna: isso era na sexta-feira. A grande mudança que pode ter acontecido é que agora Pacheco é quase que oficialmente o candidato do PSD à presidência da República, o que significa na leitura de analistas que não será ele a dificultar o andamento de um projeto que permite o aumento do novo Bolsa Família. 

Outro ponto de estressa da semana passada foi a dúvida sobre a sustentação de Paulo Guedes. Durante o fim de semana, o ministro passeou com o presidente Jair Bolsonaro para dar mais um sinal de que continua no cargo. A coletiva que deu com o presidente ajudou a acalmar o mercado na sexta-feira depois da debandada de quatro secretários da equipe econômica. A dúvida agora é se o mercado já botou totalmente no preço a mudança do teto e se não vai haver a mudança da mudança. A crise já mudou a expectativa com os juros e o boletim Focus já registra uma Selic de 8,75%  até o fim do ano e de 9,5% o fim do próximo ano, o que traz também pressão sobre o Banco Central. Será que o Copom que se reúne nesta semana já vai refletir a crise do teto de gastos?


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês