Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Bolsonaro insiste em vale-gás bancado pela Petrobras e ações caem

VEJA Mercado: Petrobras lidera movimento de queda de do Ibovespa, junto com Bradesco

Por Diego Gimenes Atualizado em 4 ago 2021, 17h38 - Publicado em 4 ago 2021, 17h36

VEJA Mercado fechamento, 4 de agosto.

Após fechar em alta por dois dias consecutivos, a bolsa voltou a cair nesta quarta-feira. O Ibovespa caiu 1,44%. O movimento foi liderado pela Petrobras, que fechou em queda de 2,12%. Segundo os analistas, o movimento em nada tem a ver com os resultados da companhia, que serão divulgados nesta noite e prometem ser bons, mas sim com o tão falado vale-gás. “Toda vez que o presidente fala em intervenção na estatal, sobretudo para a criação de novas despesas, o mercado reage mal”, diz Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos. Bolsonaro voltou a afirmar em entrevista à Rádio 96 FM nesta quarta-feira, 04, que a proposta de destinar um fundo de 3 bilhões para o programa está avançada.

Os analistas tentam também explicar parte da queda com a supresa em relação aos resultados do segundo trimestre do Bradesco. Apesar de o lucro ter subido cerca de 70% em relação ao ano passado, caiu 3% frente ao primeiro trimestre. Os resultados dos concorrentes, como Itaú e Santander, foram positivos. As ações da companhia caíram 4,12%.

Cosan também fechou em queda, de 4,06%, após a Raízen, joint venture entre a empresa e a Shell, precificar sua oferta inicial de ações no piso da faixa estimada. No lado das altas, destaque para o setor de siderurgia. Usiminas, CSN e Gerdau fecharam em altas de 4,65%, 1,58% e 0,31%, respectivamente. Nesta quarta-feira, a Gerdau anunciou um lucro 59% maior em relação ao primeiro trimestre. Usiminas já havia reportado ganhos 277% maiores no período, e, CSN, 29%.

Continua após a publicidade

Publicidade