Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Econômico Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Victor Irajá
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

A resposta de fundador da Wikipédia após crítica de Musk

Em entrevista ao Radar Econômico, Jimmy Wales afirma que fim de selos de verificação autenticada é medida facilitadora de propagação de notícias falsas

Por Felipe Erlich
Atualizado em 19 out 2023, 18h26 - Publicado em 19 out 2023, 17h20

Defensor de uma maior responsabilização das redes sociais por práticas permissivas frente à desinformação, Jimmy Wales, fundador da Wikipédia, criticou o proprietário do X (ex-Twitter), Elon Musk, pelo rumo que a rede social tem tomado com a nova gestão. “Alegações e contra-alegações rápidas, e Elon Musk removeu todos os recursos básicos que tornavam possível, mesmo remotamente, diferenciar jornalistas reais dos falsos”, disse Wales em post no X. Em resposta, Musk pediu que o empresário “consertasse a wokipedia”, associando a Wikipédia à chamada ideologia “woke”, presente em parte da esquerda americana. 

Em entrevista ao Radar Econômico, Wales criticou a mudança implementada por Musk nos selos de verificação de perfis — que antes eram concedidos a personalidades notáveis que passavam por um processo de autenticação e hoje podem ser comprados por qualquer um. “Ele não deveria ter removido recursos que facilitavam a confirmação de afiliações institucionais de jornalistas e outras autoridades, como professores universitários”, disse à coluna.

A reportagem procurou a assessoria de comunicação do X para responder à fala do fundador do site, mas a rede social se limitou a enviar uma mensagem automática como resposta. “Ocupado agora, volte mais tarde”, diz o e-mail. Vale lembrar que, em março, Musk realizou uma postagem no X comunicando que, a partir daquele momento, e-mails enviados à assessoria de comunicação da rede social seriam respondidos automaticamente com um emoji de fezes. Em consonância com as críticas de Wales, em janeiro, o Radar Econômico noticiou que Musk havia acabado com a área de comunicação do então Twitter no Brasil.

Curiosamente, em entrevista a VEJA no começo de 2020, Wales citou a Tesla — empresa de Musk — para provar seu ponto em relação à renúncia às receitas oriundas de anúncios na Wikipédia. “Esse modelo não se traduz em qualidade. Embora não haja conteúdo grátis, imagine se houvesse, na página da Tesla na Wikipedia, um anúncio dela. Perderíamos credibilidade”, disse ele na ocasião.

Siga o Radar Econômico no (agora) X — o antigo Twitter

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.