Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

A inflação segue sendo uma incógnita mundial

Custos dos transportes e alta das commodities seguem afetando os preços

Por Josette Goulart 21 set 2021, 09h53

A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgou um novo relatório com suas previsões para a economia mundial. Nele, os economistas da entidade estimam que a inflação das principais economias do G20 vão chegar a 4,5% no quarto trimestre, com 1,5 ponto percentual causado pelos efeitos de custos de transporte mais elevados e alta dos preços das commodities. A OCDE diz que é preciso comunicar ao público que o aumento da inflação é temporário e que reflete um ajuste dos preços aos níveis que eram esperados após quedas temporárias durante a pandemia. Mas ao mesmo tempo alerta que os riscos de curto prazo estão do lado positivo.

O fato é que a OCDE aumentou a previsão de inflação desde junho. A previsão para os Estados Unidos passou de 2,9% para 3,6%. A do Reino Unido de 1,3% para 2,3%. A do Brasil também aumentou um ponto para 7,2%. Fora as projeções para inflação para 2022 que aumentaram fortemente para todos os países do G20.

Publicidade