Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Neuza Sanches

Por Neuza Sanches Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Negócios, Mercados & Cia
Continua após publicidade

Lula X BC: sem apoio no mercado para intervir nas taxas de juro

Economistas renomados que assinaram a carta pela democracia e votaram em Lula nas eleições passadas discordam da batalha do presidente contra o BC

Por Neuza Sanches Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 fev 2023, 10h35 - Publicado em 8 fev 2023, 10h30

O novo governo tem pouco mais de um mês, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já coleciona várias batalhas. O alvo preferencial nos últimos dias tem sido a independência do Banco Central na fixação da taxa básica de juros – cujo nível (13,75% ao ano) foi classificado por ele como “sem explicação” e uma “vergonha” para o País.  A coluna foi ouvir economistas que, mesmo não sendo petistas, votaram em Lula nas eleições do ano passado em nome da democracia. E a posição foi unânime: juros altos servem para deter a inflação.

Pior: a cada nova investida do presidente contra o BC, maior a insegurança no mercado sobre o risco de uma intervenção na política monetária e, por tabela, mais alto é o prêmio cobrado pelo investidor que compra os papéis do governo e refinancia a dívida pública. “O Lula está redondamente equivocado”, afirma um desses economistas.

Pode parecer retórica. Mas não é. Um deles argumenta: “O Banco Central pode fixar a taxa de juros no nível que quiser”. “Nas condições de hoje, uma redução aumentaria a inflação”, completa. “Simples assim”, corrobora outro. “Político não entende nada de teoria monetária do Banco Central”, afirma outro economista, se referindo também ao vice-presidente Geraldo Alckmin que encampou essa batalha de Lula contra a alta dos juros.

Lula não foi o primeiro a se bater contra os juros altos. Antes dele, Bolsonaro, Dilma e até Fernando Henrique Cardoso já haviam comprado essa briga, para que as taxas fossem mais baixas e o crédito voltasse a irrigar indústria e comércio para a recuperação da economia. Por enquanto, os gritos do presidente Lula não ecoam no mercado especializado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.