Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Neuza Sanches

Por Neuza Sanches
Negócios, Mercados & Cia
Continua após publicidade

Estatuto da Vale: o ponto frágil para investidores minoritários

Especialistas apontam brechas no estatuto da mineradora que podem subverter os interesses dos acionistas minoritários

Por Neuza Sanches Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 11h17 - Publicado em 18 mar 2024, 08h00

As principais críticas ao estatuto da Vale, uma das maiores mineradoras do mundo, concentram-se em questões de governança e influência política. Um ex-conselheiro da empresa, José Luciano Duarte Penido, renunciou há alguns dias ao seu cargo alegando que o processo de sucessão do presidente-executivo estava sendo manipulado e que sofria “influência política nefasta”. Penido expressou descontentamento com a atuação de alguns acionistas e com o que chamou de falta de compromisso com a confidencialidade, além de colocar em dúvida o propósito de acionistas relevantes da empresa em elevar a governança corporativa do Vale ao padrão internacional. Em outras palavras, saiu dando tiros para todos os lados.

Embora o estatuto da Vale represente uma garantia para os investidores minoritários de que a empresa está comprometida com a boa governança e a transparência, o que pode reduzir os riscos de investimento, há brechas que podem prejudica-lo. As disposições que protegem seus direitos podem dar-lhes mais voz nas decisões da empresa, aumentando potencialmente o valor de seus investimentos. No entanto, é importante que os investidores minoritários estejam atentos às possíveis limitações e desafios impostos pelo estatuto, especialmente em relação aos conflitos de interesse e à flexibilidade da gestão em resposta às mudanças do mercado.

Em linhas gerais, o estatuto é um documento que estabelece diretrizes para a governança corporativa da empresa, com impactos significativos tanto para a própria empresa quanto para seus investidores, incluindo os minoritários. Abaixo, há alguns pontos citados por especialistas do mercado financeiro no caso específico da Vale.

 Pontos Positivos

  1. Transparência e Governança Corporativa : O estatuto promove práticas de transparência e boa governança, essenciais para a confiança dos investidores e para a sustentabilidade da empresa no longo prazo.
  2. Proteção aos Acionistas Minoritários : Estabelece mecanismos de proteção aos direitos dos acionistas minoritários, como a participação em decisões importantes e o acesso a informações, o que pode aumentar a atratividade da empresa para investimentos.
  3. Sustentabilidade e Responsabilidade Social : Inclui compromissos com a sustentabilidade e a responsabilidade social, alinhando os interesses da empresa com as expectativas da sociedade e contribuindo para a sua imagem e valor de mercado.

Pontos Negativos

  1. Complexidade e Custos : A implementação de práticas de governança avançadas pode gerar complexidade administrativa e aumentar os custos operacionais, o que, em alguns casos, pode impactar a rentabilidade da empresa.
  2. Possíveis Conflitos de Interesse : Apesar dos mecanismos de proteção, os interesses dos maiores acionistas – embora ela seja uma corporação sem controle definido –  podem, em determinadas situações, entrar em conflito com os dos majoritários, podendo não ser plenamente atendidos.
  3. Rigidez : A rigidez de algumas regras pode limitar a flexibilidade da gestão em tomar decisões rápidas em um ambiente de negócios que está sempre mudando.
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.