Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Mundo Agro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Marcos Fava Neves
De alimentos a energia renovável, análises sobre o agronegócio
Continua após publicidade

Os biológicos, bioinsumos e bioprodutos: um mar de oportunidades

A ascensão dos insumos biológicos na busca por sustentabilidade e eficiência econômica

Por Marcos Fava Neves
23 nov 2023, 12h53

À medida que a agricultura moderna avança no quesito sustentabilidade, os insumos biológicos surgem como protagonistas nesse cenário de transformação. Estes, diferentemente dos insumos convencionais, utilizam organismos vivos, como bactérias, fungos e outros agentes biológicos, para promover o crescimento e a proteção das plantas. A adoção de práticas sustentáveis no agronegócio não é apenas uma escolha, mas uma necessidade premente para enfrentar os atuais desafios ambientais e garantir a segurança alimentar global.

No Brasil, o conceito de bioinsumos foi definido oficialmente a partir do lançamento do Programa Nacional de Bioinsumos, pelo Decreto 10.375 de 26/05/2020, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Estes produtos foram conceituados como “qualquer produto, processo ou tecnologia de origem vegetal, animal ou microbiana, destinado ao uso na produção, no armazenamento e no beneficiamento de produtos agropecuários, nos sistemas de produção aquáticos ou de florestas plantadas, que interfiram positivamente no crescimento, no desenvolvimento e no mecanismo de resposta de animais, de plantas, de microrganismos e de substâncias derivadas e que interajam com os produtos e os processos físico-químicos e biológicos”.

Nos insumos biológicos estão as categorias de biofertilizantes, defensivos biológicos e bioestimulantes, que podem ser utilizados tanto para produção vegetal quanto animal. São inúmeras as possibilidades para você implementar os bioinsumos na produção. No Brasil, a produção de grãos, especialmente soja e milho, tem utilizado insumos biológicos na forma de biofertilizantes para melhorar a qualidade do solo e aumentar a eficiência no uso de nutrientes. Alguns setores específicos, como a produção de frutas, têm adotado insumos biológicos para o controle de pragas e doenças. O uso de biopesticidas e microrganismos benéficos tem se mostrado eficaz, proporcionando uma alternativa sustentável aos químicos tradicionais.

No quesito ambiental, a transição para insumos biológicos na agricultura oferece vantagens, pois estes preservam a biodiversidade do solo, reduzem a contaminação ambiental, fortalecem a microbiota, e combatem pragas de maneira sustentável. Além disso, contribuem para a mitigação das mudanças climáticas, sequestrando carbono e reduzem a dependência de fertilizantes químicos. Sua abordagem diversificada minimiza riscos de resistência, garantindo práticas agrícolas mais duradouras e equilibradas. Resumindo, os insumos biológicos são essenciais para uma agricultura mais sustentável e direcionada para a saúde do solo cultivado e do planeta.

Continua após a publicidade

No aspecto econômico, os insumos biológicos também apresentam benefícios. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) indica que o uso desses insumos no controle biológico de pragas e inoculantes pode gerar uma economia de R$ 165 milhões por ano ao setor agrícola, apenas com o setor de produtos biológicos de controle. Esse fato pode ser explicado por 97% dos insumos biológicos comercializados no Brasil serem de fabricação nacional, gerando um gasto menor com transporte se comparado com insumos químicos importados.

Olhando para o futuro, são várias as oportunidades que surgem. O mercado de insumos biológicos está em expansão e apresenta um enorme potencial de crescimento no Brasil. Dados da CropLife Brasil projetam um valor de R$ 17 bilhões para o mercado global de bioinsumos para 2030, com uma taxa de crescimento anual de 23%. No Brasil, segundo dados do MAPA, a produção nacional de bioinsumos tem um crescimento anual de 30%, número maior se comparado com o resto do mundo, que apresenta um crescimento de 18%. Dentro das grandes oportunidades ao agro brasileiro, liderar a pesquisa, utilização, produção e exportação de biológicos é uma das mais promissoras.

Marcos Fava Neves é professor Titular (em tempo parcial) das Faculdades de Administração da USP (Ribeirão Preto – SP) da FGV (São Paulo – SP) e fundador da Harven Agribusiness School (Ribeirão Preto – SP). É especialista em Planejamento Estratégico do Agronegócio. Confira textos e outros materiais em harvenschool.com e veja os vídeos no Youtube (Marcos Fava Neves). Agradecimentos a Vinicius Cambaúva e Rafael Rosalino.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.