Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Marcela Rahal Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Marcela Rahal
Jornalista, repórter e apresentadora. Blog de informação e análise do cenário político nacional
Continua após publicidade

O que falta para o acordo entre Mercosul e União União Europeia sair

Governo brasileiro tem se empenhado para a aprovação ainda neste ano, antes da posse de Javier Milei

Por Marcela Rahal
Atualizado em 22 nov 2023, 19h01 - Publicado em 22 nov 2023, 12h55

Duas reuniões técnicas marcadas para esta quinta (23) e sexta-feira (24) devem definir os detalhes para tentar fechar o acordo entre o Mercosul e a União Europeia ainda neste ano. Como presidente do bloco, o Brasil tem intensificado as conversas para agilizar a conclusão do acordo que já se arrasta há mais de 20 anos e que conta com 31 países.

O presidente Lula falou com a presidente da União Europeia, Ursula von der Leyen, na segunda-feira 20, um dia depois da vitória do ultradireitista Javier Milei nas eleições presidenciais da Argentina. O presidente eleito já chegou a defender durante sua campanha a saída do país do Mercosul.

No entanto, a diplomacia brasileira acredita que a postura de Milei pode mudar depois de assumir o comando do país. O acordo, segundo o Itamaraty, tem forte apoio do setor privado, o que poderia impactar a postura do novo presidente argentino, que, aliás, já mudou o tom, falando agora em aperfeiçoamento do bloco.

A ideia é aprovar até o dia 7 de dezembro o acordo comercial entre os blocos. O ponto de discordância ainda é em relação às sanções impostas pelos europeus em caso de descumprimento de regras ambientais que, segundo interlocutores da diplomacia brasileira, podem ser usadas, na verdade, como medidas protecionistas. A União Europeia já concordou em flexibilizar essas medidas.

Continua após a publicidade

Outra questão que está sendo discutida é a legislação ambiental europeia, que, na prática, pode causar o mesmo efeito das barreiras comerciais.

Tudo tem avançado bem, agora é acertar o timing, se vai dar tempo de aprovar ainda no governo do atual presidente argentino, Alberto Fernández.   

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.