Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Setor imobiliário encerrou 2020 com queda de 17,8% em lançamentos

Números fazem parte de balanço elaborado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)

Por Mariana Muniz Atualizado em 22 fev 2021, 12h23 - Publicado em 22 fev 2021, 16h30

A alta nos preços dos materiais de construção e o desabastecimento continuam gerando incertezas para os empresários e ameaçando o mercado imobiliário. O setor encerrou 2020 com uma queda de 17,8% no número de lançamentos de imóveis, na comparação com 2019. Os números fazem parte de um balanço que a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) divulga agora.

A entidade prevê redução de lançamento em 2021, mesmo com demanda favorável e tendência de crescimento nas vendas. O número de imóveis vendidos em 2020 foi 9,8% maior que em 2019. Já a oferta final no 4º trimestre de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019, apresentou uma queda de 12,3%.

O impacto da alta nos preços de materiais já foi sentido em números do programa Casa Verde e Amarela, segmento mais afetado pelos aumentos em função de suas margens, que são menores. A representatividade do programa sobre o total de lançamentos de imóveis no Brasil caiu de 54,7%, no 3º trimestre de 2020, para 47,1%, no 4º trimestre de 2020.

Projeções realizadas pela CBIC apontam que a construção deverá incrementar 4% em seu PIB em 2021, o que seria o maior crescimento do setor desde 2013, quando cresceu 4,5%. A crise provocada pelo aumento dos insumos, no entanto, segue provocando baixas nos lançamentos e se revelando o principal risco para esse desempenho.

Continua após a publicidade
Publicidade