Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Plataforma mede impacto da pandemia no mercado de imóveis usados

inGaia acompanha transações de 6,1 mil imobiliárias e 38 mil corretores em todo o país

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 5 jun 2020, 17h57 - Publicado em 8 jun 2020, 11h32

Uma nova ferramenta de análise do mercado de imóveis usados entra em operação nesta semana. É o Painel do Mercado Imobiliário (PMI), no qual é possível acompanhar o sobe e desce do mercado em tempo real, inclusive a oscilação causada pela pandemia do novo coronavírus.

Na plataforma, as etapas que compõem o processo de vendas de imóveis são apresentadas em comparativos semanais, mensais, anuais e, também, de acordo com a evolução da pandemia no Brasil. Os panoramas regionais de 13 estados também são apresentados. É possível conferir números de acesso aos sites de imobiliárias, visitas concluídas, propostas e do fechamento de transações.

A iniciativa é da proptech inGaia, empresa de tecnologia especializada no setor imobiliário. Os números têm como referência uma base de dados que reúne 6.100 imobiliárias e 38.000 corretores de todo o Brasil.

De janeiro a dezembro de 2019, a proptech registrou o valor geral de R$ 13,5 bilhões nas transações de compra e venda e R$ 1,2 bilhão no valor geral das transações de locação. De acordo com o levantamento, o número de visitas a sites de imobiliárias teve recuperação de 8% em maio, com 504 mil visitas a mais do que abril, quando as consultas pela internet sofreram declínio de 3% em comparação com o mês anterior.

Já o número de propostas realizadas em maio apresentou aumento de 39% em comparação com abril quando as propostas tiveram queda de 38%. “O índice de propostas vem se recuperando e em abril esteve superior à média semanal de visitas concluídas, o que demonstra que os clientes estão utilizando as soluções tecnológicas para conhecer e evoluir para um possível fechamento de negócios”, afirma José Eduardo Andrade Junior, CEO da inGaia.

Em função da pandemia, o número de visitas presenciais a imóveis caiu 41% em abril, mas aumentou 56% em maio, com o total de 16,3 mil visitas concluídas. “Além do uso das ferramentas on-line, imobiliárias e corretores têm oferecido para os seus futuros compradores máscaras, álcool gel e proteção para os sapatos em visitas presenciais”, explica o presidente da inGaia, Mickael Malka.

Continua após a publicidade
Publicidade