Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pesquisa revela como brasileiro gasta o vale refeição no home office

Colaboradores estão preocupados em ocupar a mente: uso do cartão-benefício com cultura cresceu 300%.

Por Manoel Schlindwein - Atualizado em 25 jun 2020, 10h02 - Publicado em 25 jun 2020, 14h32

Quem conta com o luxo do home office no meio da pandemia viu sua rotina ser alterada por completo, inclusive o modo como são gastos os tickets de refeição e transporte. Um estudo inédito apontou que os pedidos de comida por delivery aumentaram 34% e o gasto médio de cada pedido teve acréscimo de 19,3%. O gasto com internet e energia subiu 229%, com uma alta no de 189% no valor, atingindo um ticket médio de R$ 83 para essas despesas.

Os trabalhadores também estão preocupados em ocupar sua mente: a utilização com cultura cresceu 300% no período, com um ticket médio subindo 97,7%. Já a saúde teve uma queda de 5% no volume, porém com um crescimento de 5% no valor transacionado.

Os dados são da HR tech de benefícios flexíveis Vee e foi realizado com oito mil profissionais de 110 companhias em operação no país entre 1º de abril e 31 de maio. No período, a categoria refeição, que costuma representar 15,78% da movimentação do cartão Vee, teve um crescimento de 6% no volume das transações e 15% no valor gasto na categoria. Já o uso com mobilidade apresentou uma queda de 3,67% no volume de transações, e um aumento de 17,6% no valor gasto por corrida.

Publicidade