Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Federações de indústrias do Norte e Nordeste em guerra contra Firjan

Briga de dirigentes por mais dinheiro expõe fratura no Sistema S

Por Mariana Muniz Atualizado em 25 jun 2020, 11h34 - Publicado em 25 jun 2020, 11h25

Na disputa por mais dinheiro da CNI, as federações de indústrias do Norte e Nordeste estão em pé de guerra com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

A celeuma foi criada após declarações do presidente da entidade do Rio, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, sobre a falta de “capacidade de atendimento social” das irmãs norte-nordestinas e suposta falta de integridade de suas lideranças.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

O presidente da Firjan tem criticado, publicamente, o critério de distribuição dos 2,7 bilhões do Sesi/SENAI pela CNI. Mesma posição defendida pela Federação de São Paulo. 

Uma carta do último dia 16, assinada pelos dirigentes das federações de indústria do Norte e do Nordeste, chama as afirmações de preconceituosas, desrespeitosas e discriminatórias – atribuídas a uma atuação “pouco significativa” de Vieira.

O fratricídio tem tudo para continuar nos próximos dias: o Senado aprovou, nesta terça-feira, uma MP que reduz pela metade, nos meses de abril e maio, as alíquotas de contribuições de empresas para financiar entidades do Sistema S.

Continua após a publicidade
Publicidade