Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Concursados de 1991 ganham direito a receber R$ 160 milhões

Grupo de aprovados para seleção do governo da Bahia não tomou posse e agora cobra salários retroativos

Por Gabriel Mascarenhas Atualizado em 25 jul 2017, 17h06 - Publicado em 25 jul 2017, 13h30

Há 26 anos, 44 pessoas passaram num concurso para a Secretaria estadual de Fazenda da Bahia. A alegria durou pouco, e o certame foi suspenso.

Desde então, o grupo pleiteia na Justiça a posse dos cargos para os quais foi selecionado e os salários retroativos àquele ano, como se tivesse trabalhado. A primeira vitória está garantida.

A 7ª Vara da Fazenda Pública de Salvador reconheceu o pedido e determinou a nomeação dos aprovados. A batida de martelo equivale a um tsunami para Rui Costa. A brincadeira gira em torno de 160 milhões de reais.

Isso porque o governo do estado calcula que terá de pagar um prêmio de loteria – 3,6 milhões de reais – a cada um dos 44 aprovados, caso a decisão não seja revista na segunda instância, à qual o Estado recorreu.

Continua após a publicidade
Publicidade