Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após decisão do STF, Cade fecha cerco a devedores contumazes

O Cade abriu inquérito administrativo para investigar a prática de preço predatório praticado por Rodopetro e Minuano

Por Pedro Carvalho - Atualizado em 9 Jan 2020, 17h37 - Publicado em 9 Jan 2020, 16h37

A decisão ratificada em dezembro pelo STF e que criminaliza a inadimplência fraudulenta de ICMS já tem o seu primeiro efeito prático no combate à sonegação, mais especificamente no mercado de combustíveis.

Nos últimos dias do ano, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu inquérito administrativo para investigar a prática de preço predatório praticado por Rodopetro, do Grupo Manguinhos, e Minuano, do Grupo Canabrava.

O inquérito coloca em prática uma representação com pedido de medida preventiva que havia sido apresentada em 2018 pela Associação Brasileira de Combate às Fraudes de Combustíveis. A tese defendida no processo é de que a ação do devedor de tributos contumaz tem um efeito nefasto na concorrência, raciocínio que foi corroborado pelo voto do ministro Luiz Roberto Barroso.

Agora que o Cade colocou a investigação em curso, começa o processo de instrução com pedidos de informações e ofícios.

Publicidade