Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Apesar da crise, empresas suecas no Brasil cresceram na pandemia

Pesquisa aponta que cerca de 90% da mais de 200 companhias do país europeu esperam aumentar o volume de negócios neste ano

Por Gustavo Maia Atualizado em 21 out 2021, 17h50 - Publicado em 21 out 2021, 18h30

Pesquisa sobre o clima de negócios no Brasil apontou que 70% das mais de 200 empresas suecas em atuação no país tiveram resultados positivos em 2020, apesar da crise provocada pela pandemia, e nove em cada dez companhias esperam um crescimento no volume de negócios neste ano. E nenhuma delas pretende deixar o mercado brasileiro.

O levantamento foi realizado pela Embaixada da Suécia em parceria com a Business Sweden Brazil e a Câmara de Comércio Sueco-Brasileira e apontou o resultado como surpreendente.

Participaram da sondagem grandes companhias suecas, como ABB, Assa Abloy, Atlas Copco, Electrolux, Ericsson, Saab, Sandvik, Scania, SKF, Volvo e Tetra Pak.

O Brasil é o maior parceiro comercial da Suécia na América Latina. As empresas do país europeu empregam 70 mil pessoas e geram receitas de cerca de 100 bilhões de reais anuais.

A partir da próxima segunda-feira, por sinal, a embaixada sueca promove as Semanas de Inovação Suécia-Brasil, até 12 de novembro. O evento vai reunir especialistas dos dois países para discutir ideias e soluções inovadoras em áreas como bioeconomia e mobilidade, cidades sustentáveis, ciências da saúde, mineração e aeronáutica, com programação on-line e gratuita.

Continua após a publicidade

Publicidade