Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

ANTT decide se tira CSN da concessão da ferrovia Transnordestina

A agência, como o Radar já mostrou, pode cancelar a operação de Benjamin Steinbruch por descumprimento de metas

Por Robson Bonin Atualizado em 10 mar 2020, 10h05 - Publicado em 10 mar 2020, 10h06

A ANTT deve julgar nesta terça o processo de caducidade da CSN na concessão da ferrovia Transnordestina.

A agência, como o Radar já mostrou, pode cancelar a operação de Benjamin Steinbruch após constatar descumprimento de metas e outras obrigações contratuais relativas à administração da chamada “Malha I”, que se estende por 4.295 quilômetros ao longo de sete estados, de São Gonçalo do Amarante, no Ceará (onde se localiza o Porto de Pecém), até São Luís, no Maranhão (Porto do Itaqui).

A CSN joga para manter o projeto com o argumento de que emprega atualmente 1.000 pessoas no Ceará e no Piauí. Retomada no ano passado, quase 60% da obra estão concluídos, com investimento de 270 milhões de reais por parte da siderúrgica em 2020.

 

Continua após a publicidade
Publicidade