Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

Reforma administrativa deve andar somente em 2021

Prioridades definidas pelo governo são as reformas tributária e do Pacto Federativo

Por Machado da Costa - Atualizado em 20 set 2020, 22h35 - Publicado em 21 set 2020, 09h00

Apesar da pressão de senadores e do setor de serviços para que a reforma administrativa ande antes da PEC do Pacto Federativo e da reforma tributária, o tema só deverá andar na casa depois que estas duas mudanças constitucionais forem aprovadas.

Na última semana, ficou acordado com o Ministério da Economia que estas serão as prioridades por tratarem de mudanças que abrirão espaço fiscal, resolverão o imbróglio com as igrejas e vão implementar o novo imposto sobre transações financeiras (ITF). Apesar de difícil, a vontade é que andem simultaneamente — a tributária na Câmara e a do Pacto Federativo no Senado.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade