Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Procurador pede que TCU investigue “orçamento secreto” de Bolsonaro

Emendas do Orçamento teriam favorecido parlamentares em troca de apoio político

Por Josette Goulart Atualizado em 10 Maio 2021, 17h14 - Publicado em 10 Maio 2021, 17h00

O sub-procurador geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, fez uma representação para que o tribunal investigue as denúncias feitas pelo jornal O Estado de S. Paulo de que o governo Jair Bolsonaro teria articulado um “orçamento secreto” em favor de determinados parlamentares em troca de apoio a projetos do governo. Segundo o procurador, isso configura inadequada execução orçamentária motivada por interesses políticos. O esquema teria envolvido o valor de 3 bilhões de reais distribuídos a  parlamentares, entre eles o ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o atual presidente da Câmara, Arthur Lira.

Para se ter ideia do tanto de dinheiro que está envolvido, o fundo de financiamento de campanhas para as eleições a prefeito e vereador de todas as cidades brasileiras não chegou a esse valor. O presidente da Câmara afirma que não há irregularidades ou falta de transparência e que o dinheiro seria de emendas impositivas. Essas emendas têm o valor individual de 8 milhões de reais, mas o jornal aponta uma série de liberações de valores bem mais elevados e também denuncia superfaturamento na compra de tratores.

O líder da Oposição na Câmara, deputado Alessandro Molon (PSB), também anunciou que vai entrar com representações no Ministério Público Federal e no TCU para que a liberação de emendas seja investigada. 

Publicidade