Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Os dados da China e Estados Unidos que podem guiar os mercados

VEJA Mercado: investidores seguem absorvendo impacto da reforma tributária, mas o exterior estará na pauta

Por Josette Goulart Atualizado em 3 set 2021, 08h44 - Publicado em 3 set 2021, 08h38

VEJA Mercado | Abertura | 03 de setembro.

Depois de uma quinta-feira mal humorada por conta da reforma tributária que passou na Câmara, o mercado hoje deve olhar um pouco para o exterior, em especial para os dados da indústria da China e os números de emprego dos Estados Unidos. Na China, os dados de manufatura vieram abaixo do esperado, indicando novamente uma desaceleração do crescimento chinês, o que por sua vez atinge em cheio a expectativa das empresas brasileiras. Nos Estados Unidos, o dado do emprego que deve ser divulgado no meio da manhã é importante porque o presidente do Fed, o banco central americano, disse na semana passada que deve reduzir os estímulos monetários desde que os dados de emprego estejam se mostrando robustos. Existe uma preocupação de como a variante delta pode estar influenciado os números.

Nos fatos relevantes, destaque para a Equatorial que vai despejar 1,8 bilhão de reais no Amapá. A empresa venceu o leilão para a compra da empresa de água e esgoto do estado e se comprometeu a pagar 930 milhões de reais de outorga e a fazer 880 milhões de reais em investimentos.

Publicidade