Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

Juros cobrados pelo BNDES das aéreas chegam a quase 20%

Companhias estão pressionadas, mas fazem contas para saber se vale a pena pegar o crédito

Por Machado da Costa Atualizado em 3 set 2020, 19h21 - Publicado em 4 set 2020, 12h00

As companhias aéreas, setor fortemente impactado pela pandemia, estão fazendo contas para saber se a proposta do BNDES para o setor vale a pena. O banco público ofereceu crédito suficiente para dar fôlego ao setor, mas o custo é mais alto do que o próprio mercado privado tem cobrado. A taxa efetiva eleva os juros a 19% ao ano e ainda os bônus de subscrição podem fazer com que as empresas entreguem 20% de suas ações para o banco.

Além dos juros altíssimos, mesmo para o setor aéreo, os acionistas não gostam da ideia de terem suas participações diluídas. Apesar disso, as empresas podem vir a pegar o crédito para reforçar o caixa e passar sem maiores sobressaltos o restante da pandemia.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

  • Publicidade