Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Guedes liga manifesto dos bancos à reforma tributária

Ministro diz que foi informado que Febraban alterou conteúdo do manifesto pela democracia para virar um ataque ao governo

Por Josette Goulart Atualizado em 30 ago 2021, 16h00 - Publicado em 30 ago 2021, 13h06

O ministro Paulo Guedes foi questionado por jornalistas sobre o manifesto que pede harmonia entre os três Poderes, assinado e estimulado pela federação dos bancos, e não teve dúvidas em trazer a reforma tributária para o assunto: “A federação está bastante ativa na reforma tributária, defendendo bastante os interesses dos bancos na reforma tributária”.  O ministro completou que se a federação quer defender também a democracia, isso é bom. Mas Guedes disse que o que lhe foi informado é que alguém na Febraban mudou o manifesto pela democracia para virar um ataque ao governo. A fala foi interpretada por um banqueiro, que falou com a coluna, como um tipo de ameaça velada do ministro. 

Em nota enviada à imprensa na tarde desta segunda-feira, 30, a Febraban diz que não participou da elaboração de texto que contivesse ataques ao governo ou oposição à atual política econômica. “O conteúdo do manifesto pedia serenidade, harmonia e colaboração entre os Poderes da República e alertava para os efeitos do clima institucional nas expectativas dos agentes econômicos e no ritmo da atividade”. 

Publicidade