Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Governo pedala para evitar reajustes exorbitantes de energia

CEB teria um reajuste de 20%, ficou com "apenas" 11%. Veja como.

Por Josette Goulart Atualizado em 14 nov 2021, 11h42 - Publicado em 14 nov 2021, 11h37

Um decreto do governo federal permitiu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) dar uma pedalada nos reajustes de tarifas. Os moradores de Brasília, por exemplo, que teriam um reajuste de 20% no preço da energia (bem acima da média do país),  serão agraciados com “apenas” 11% de aumento. Isso foi possível graças ao que está sendo chamado de bônus Itaipu. Trata-se de uma manobra contábil para para conter a escalada das tarifas de energia elétrica. A CEB, distribuidora que atende a capital federal, teve seu reajuste em outubro e foi uma das que sentiu o efeito de forma mais profunda. O cálculo da diferença de reajustes foi feito pela TR Soluções, empresa de tecnologia especializada em energia, a pedido do Radar Econômico.

Publicidade