Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

BNB vai encerrar contrato com ONG para neutralizar cabo eleitoral de Lula

Banco fará uma licitação para escolher novo operador do maior programa de microcrédito da América Latina

Por Josette Goulart 8 out 2021, 15h04

O Banco do Nordeste vai encerrar integralmente o contrato com o Instituto Nordeste Cidadania (Inec). Em reunião ontem no BNB, o presidente executivo do Inec, Stélio Gama Lyra Júnior, foi informado pelo novo presidente do banco, Anderson Possa, que o contrato que vence no dia 31 de dezembro não será renovado e o banco fará uma licitação para definir um novo operador do programa em todos os estados. A notícia caiu como uma bomba para a diretoria da ONG, que opera o Crediamigo, o maior programa de microcrédito da América Latina. A ONG possui 470 unidades de atendimentos em 2 mil municípios, de 11 estados, e se relaciona com mais de 3 milhões de clientes em uma carteira de 15 bilhões de reais.

A crise que levou à ruptura é política e começou há dez dias quando o presidente Jair Bolsonaro foi informado que o programa de microcrédito no Nordeste era operado por uma ONG comanda por petistas. Ou seja, o presidente entendeu que estava patrocinando um tremendo cabo eleitoral de Lula no Nordeste. O presidente ligou para o presidente do PL, Waldemar da Costa Neto, cobrando explicações, já que o então comandante do banco, Romildo Rolim, foi indicado pelo partido. Alguns dias depois, Costa Neto foi às redes sociais pedir a demissão de toda a diretoria, colocando suspeitas sobre o contrato de cerca de 600 milhões de reais com a ONG. O contrato já resiste a vários governos e foi feito em 2003, ainda no governo Lula. Com a saída de Rolim, o cargo foi ocupado interinamente por Anderson Possa, funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal e que por orientação de Bolsonaro, iniciou agora a licitação do Crediamigo.

Publicidade