Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Alvarez & Marsal rebaixa Moro de sócio-diretor a mero consultor

Em manifestação no processo de recuperação judicial da Odebrecht, consultoria diz que Moro não tem sequer salário, só honorários por serviços prestados

Por Josette Goulart 19 abr 2021, 15h43

De “sócio-diretor” de uma das maiores consultorias do mundo ao título de mero consultor. Menos de seis meses depois de ter anunciado oficialmente o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, como seu diretor da área de disputas e investigações,  a Alvarez & Marsal agora está contando uma história diferente para a Justiça e para o Tribunal de Contas da União (TCU). Em manifestação oficial protocolada no dia 07 de abril no processo de recuperação judicial do grupo Odebrecht, na Justiça de São Paulo, a consultoria diz que Moro não é sócio de qualquer empresa do grupo e reforça em todo o documento que o ex-juiz foi contratado apenas como consultor, o que significa que também não tem salário fixo e só é remunerado quando presta algum serviço. “A remuneração do Sr. Sérgio Moro decorre tão somente dos honorários pagos pela empresa cliente nos específicos casos em que está autorizado a atuar e com base na efetiva prestação de serviços como consultor”, diz  a manifestação da consultoria.

A Alvarez & Marsal, que é administradora judicial da Odebrecht, chegou a anexar os contratos sociais do grupo para provar que Moro não é sócio de nenhuma das empresas no Brasil e ainda reforça que tampouco o ex-juiz é sócio de qualquer empresa do grupo no exterior. A manifestação da consultoria foi provocada pelo juiz da recuperação judicial, João de Oliveira Rodrigues Filho, que disse que para garantir a continuidade da lisura da condução do processo da Odebrecht seria prudente que a empresa esclarecesse seu organograma societário e os termos contratuais que poderiam impedir qualquer ingerência de Moro no processo. A Alvarez & Marsal diz que o contrato de consultor de Moro também o proíbe de trabalhar em qualquer caso de empresas com as quais ele tenha tido contato prévio como ministro ou juiz. 

A suspeição da Alvarez & Marsal foi levantada pelo TCU porque Moro, como se sabe, foi o juiz que conduziu o processo da Lava Jato e que levou à prisão de vários executivos e ao processo de delação premiada e acordo de leniência da companhia. No site oficial da Alvarez, ainda consta a posição de diretor-gerente de Sérgio Moro na empresa e também ainda está no ar o release de apresentação do ex-juiz, como sócio-diretor.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade