Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dois erros de Bolsonaro no caso do reajuste do diesel

Preços de commodities mundiais não se regem pela inflação doméstica nem pelos custos locais de produção

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) justificou sua determinação de mandar suspender o reajuste do preço do diesel com uma contradição. Disse que não repetiria as políticas de controle de preço de governos anteriores (referia-se por certo à administração de Dilma Rousseff), mas queria ver a justificativa para o reajuste de 5,7% no preço do diesel Ora, se a Petrobras tem autonomia para estabelecer sua política de preços e se ele não vai intervir no processo, não faz o menor sentido exigir que a empresa justifique o reajuste do diesel.

Pior do que isso, o presidente cometeu dois erros típicos de pessoas que não conhecem o funcionamento do sistema de preços de commodities. Bolsonaro afirmou que exigirá explicações para um reajuste superior à inflação. Sugeriu em seguida que os custos domésticos deveriam ser considerados nessa questão.

O diesel, como subproduto do petróleo, é uma commodity comercializada nos mercados mundiais. Seus preços mudam, por isso, de acordo com duas variáveis, isto é, o preço internacional do produto e a taxa de câmbio entre o real e o dólar. Isso porque a Petrobrás adquire o petróleo por sua cotação em dólares norte-americanos e o vende com base na moeda nacional, o real. Logo, a variação doméstica do preço do diesel não pode ser comparada com a inflação no país. Pode ficar acima ou abaixo dos índices nacionais de preços.

Veja também

O segundo erro é imaginar que se deve levar em conta o custo de extração de petróleo no Brasil e não os preços internacionais do produto. As commodities têm seu preço determinado pelos mercados mundiais. Por exemplo, o preço doméstico da soja, do milho, do trigo e de outras commodities não é formado por seus respectivos custos domésticos, mas por suas cotações internacionais.

É preocupante assistir ao presidente da República decidir sobre questões complexas sem consultar previamente as áreas técnicas do governo. Não à toa, Bolsonaro assustou os mercados e criou incertezas sobre os rumos da política econômica liberal defendida por seu ministro da Economia e com a qual ter-se-ia comprometido.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Paulo Bandarra

    Será que vai tabelar o feijão carioquinha também?

    Curtir