Por: Rafael Lemos - Atualizado em

Desfile dos Inocentes de Belford Roxo, no Rio de Janeiro
Desfile dos Inocentes de Belford Roxo, no Rio de Janeiro(Celso Pupo/Fotoarena/VEJA)

"Foi uma questão clara de má gestão e falta de comprometimento. Não podemos deixar as escolas serem lesadas", diz Antonio Pedro, presidente da Riotur

O Carnaval do Rio de Janeiro teve uma reviravolta na tarde desta quinta-feira. A polêmica na apuração do resultado dos desfiles das escolas de samba do Grupo de Acesso, que definem quem sobe para o Grupo Especial, levou a Riotur a descredenciar a LESGA (Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso). A decisão foi comunicada, na tarde desta quinta-feiram, através de nota oficial:

"A Riotur informa que - devido ao desrespeito a cláusulas contratuais observadas na apuração do resultado do Desfile das Escolas de Samba do Grupo de Acesso A - não reconhece mais a LESGA (Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso) como interlocutora e organizadora do Carnaval do Grupo de Acesso A. Oportunamente, a Riotur reunirá as Escolas do Grupo de Acesso A para definir os critérios para o Carnaval de 2013".

A Inocentes de Belford Roxo foi a campeã de 2012, o que a asseguraria no Grupo Especial em 2013. O resultado, no entanto, circulava nas redes sociais desde a véspera. O presidente da Inocentes, Reginaldo Gomes, também comanda a LESGA, entidada fundada em julho de 2008 por sete das 10 agremiações do Grupo A. A Inocentes de Belford Roxo foi campeã com 299,6 pontos contra 298,3 do Império Serrano, segundo colocado. A diferença gritante contribui para aumentar as suspeitas de manipulação do resultado.

O presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira de Mello, afirma que o resultado anunciado está mantido. A Inocentes de Belford Roxo está, portanto, garantida no Grupo Especial em 2013. "O resultado já foi dado, foi anunciado. O que não posso mais é assinar contrato com uma entidade que não respeita contrato. Se cabe alguma investigação sobre o resultado, é uma pergunta que deve ser feita ao Ministério Público", disse o secretário.

A LESGA descumpriu uma das cláusulas do contrato com a prefeitura do Rio, que previa o rebaixamento de duas agremiações do Grupo A para o Grupo B. A entidade justificou a decisão alegando que o repasse da subvenção da prefeitura foi feito muito tarde, o que teria prejudicado todas as escolas.

Após o Carnaval, a prefeitura vai se reunir com os presidentes das escolas de Grupo A para discutir as regras para os desfiles de 2013. Uma das possibilidades é que a prefeitura reassuma a seleção dos jurados. "O Carnaval só acaba no domingo. Só então, vamos nos reunir com as escolas. Foi uma questão clara de má gestão e falta de comprometimento. Não podemos deixar as escolas serem lesadas. Quando uma entidade desrespeita um contrato já se vê que não é séria", afirma Antonio Pedro.

A LESGA tinha planos de expandir sua atuação em 2013, reunindo os grupos A e B num super grupo com 18 escolas de samba. "Essa história foi ventilada, mas não chegou nenhuma proposta formal. Mas nada está descartado. Quero ouvir as escolas. O presidente da LESGA chegou a falar comigo, mas eu disse: 'Nem fala nesse assunto enquanto não acabar esse Carnaval. Vamos primeiro realizar esse carnaval e, depois, pensamos no próximo", conta o presidente da Riotur.

LEIA TAMBÉM:

Inocentes de Belford Roxo sobe para o Grupo Especial

TAGs:
Rio de Janeiro
Carnaval