S&P eleva rating da Grécia e tira país de risco de quebra

Porém, títulos públicos ainda estão em categoria ruim, de alto grau especulativo por conta de instabilidade política e social

- Atualizado em

Milhares se reuniram em Atenas, e outras cidades da Grécia, para manifestações contra as medidas de austeridade do governo
No Primeiro de Maio, milhares se reuniram em Atenas para manifestações contra as medidas de austeridade(Louisa Gouliamaki/AFP/VEJA)

A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) elevou o rating da Grécia e tirou o país do terreno de default (calote). Porém, o país continua com uma nota considerada "junk" (ruim, com alto grau especulativo). Para a S&P, a recessão profunda, eleições imprevisíveis que acontecerão no próximo dia 6 e a irritação popular contra as medidas de austeridade do país podem ameaçar os esforços de Atenas de controlar sua dívida soberana. O rating está em CCC.

Leia também:

Zona do euro tem maior desemprego em 15 anos - 10,9%

"Apesar de a mudança ter aliviado, em nossa opinião, as pressões de financiamento de curto prazo, o peso da dívida soberana da Grécia continua alto", informou a S&P em comunicado, acrescentando esperar que a dívida permaneça em um patamar elevado de 160 a 170 por cento do PIB nos próximos três anos.

A S&P deu ao rating da Grécia uma perspectiva estável, indicando que não planeja alterar o rating de novo em breve, mas alertou que os riscos permanecem.

(Com agência Reuters)

TAGs:
Grécia
Crise do Euro