Polícia identifica agressores de jovem brasileiro morto nos EUA

Roger Tomé Trindade, de 15 anos, teve morte cerebral após ser agredido por um grupo de jovens no final de semana

A polícia de Winter Park, no Estado americano da Flórida, identificou uma parte dos agressores do adolescente brasileiro que morreu após ser espancado em um parque no final de semana – Roger Tomé Trindade, de 15 anos, teve morte cerebral declarada depois das agressões. Segundo a imprensa local, eles seriam alunos da mesma escola onde estudava a vítima, a Winter Park High School. 

De acordo com o jornal Zero Hora, Ana Luiza Thomé, prima da vítima, informou que Roger foi agredido quando andava de bicicleta, na noite de sábado. “Logo que ele chegou ao parque, umas pessoas chegaram perto, não sei se eram amigos ou não, e jogaram um spray nele. O Roger caiu da bicicleta e essas pessoas começaram a bater. Não dá para entender, ele não tinha nenhuma inimizade”, disse Ana Luiza.

O adolescente foi encontrado inconsciente e levado ao hospital, mas morreu na noite de domingo. Natural de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, Roger morava nos Estados Unidos desde o início do ano.

A ausência de ferimentos externos — Roger apresentava “sinais mínimos de traumas e ferimentos” quando os policiais chegaram ao parque –  acrescenta complicações ao caso, por isso a polícia aguarda o resultado a autópsia para determinar a causa da morte.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gian M. Bass

    Lamentável, triste!……Deus conforte os familiares e amigos da vítima. Na torcida para que a Polícia prenda todos os responsáveis por essa barbárie!…..

    Curtir

  2. Roberto Negromonte Santos Negromonte

    Este é o sonho americano? Um país onde Nortista matou e estuprou Sulista e vice versa, pode ser modelo de alguma coisa? Bom mesmo é o velho Brasil…

    Curtir

  3. Reinaldo Favoreto Júnior

    se a imprensa acompanhar o caso verá que lá demenor-vetema-da-elite-branca vai pra cadeia

    Curtir

  4. @Roberto, pare de ser metonímico. Um crime contra um brasileiro nos EUA, como se todo brasileiro que chegasse lá fosse morto. Nos EUA, país com 300 milhões, a taxa de homícidios é 15 mil/ano. Agora o Brasil, tem 65 mil homicídios por ano. Sem considerar os 25 mil mortos em acidentes de trânsito.

    Curtir

  5. Gustavo Pereira

    a diferença é que nos EUA, mesmo os assassinos sendo menores, eles mostram a foto e identificam os assassinos, os quais podem responder como adultos pelo crime. Lá não tem Estatuto da Criança e do Adolescente para proteger assassinos.

    Curtir

  6. Vai saber se no meio dessa gang nao tinha outro brasileiro(s) com inveja do rapaz. Florida e lotada de brasileiros, entao nao e certo assumir que sejam gringos. Pode ter sido qualquer um e esse tipo de incidente contra brasileiro e raro na regiao. Ou pode ter sido caso de identidade confundida.

    Curtir