Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tame Impala prova sua relevância com show notável no Lolla

Banda australiana tocou de músicas que flertam com o rock psicodélico a canções dançantes

A banda australiana Tame Impala retornou ao Brasil, onde já havia tocado sete vezes nos últimos anos, em um show memorável no fim da tarde deste sábado, no Lollapalooza. O grupo, que até então havia feito performances no país apenas em casas de porte médio, proporcionou um dos principais momentos do primeiro dia de festival, atraiu um público numeroso, com fãs devotos e animados, e provou que é, sim, uma grande banda. A apresentação equilibrou canções dos dois primeiros discos da banda, Innerspeaker (2010) e Lonerism (2012), que deram ao grupo o posto de responsáveis pelo retorno do rock psicodélico, e do álbum mais recente, Currents (2015), que abriu portas para uma fase mais pop dos artistas, essa mais próxima de batidas dançantes e do R&B.

O show começou às 18h40 com uma tímida saudação de Kevin Parker, o centro criativo da banda. “Estão todos bem?”, perguntou ele, em inglês, aos muitos fãs empolgados que o aguardavam. Depois de tocarem uma canção instrumental psicodélica – lembrando por que o Tame Impala foi tão adorado quando surgiu, há nove anos -, apresentaram a dançante Let It Happen, música do disco Currents e uma das mais populares do grupo. A animação do público aumentou ainda mais quando, no meio da faixa, houve uma explosão de papéis coloridos, que caíram sobre o público.

Leia também:

Bad Religion entoa o bom e velho punk rock no Lolla

Em seguida, os australianos apresentaram Mind Mischief e The Moment, do segundo e terceiro disco respectivamente. Foi nesse momento em que o tímido Parker decidiu interagir mais com o público, perguntando se todos estavam gostando do show, dizendo que é sempre bom voltar ao Brasil e arriscando uma palavra em português: “obrigado”. Junto com a banda, a plateia entoou It Is Not Meant to Be, o hit psicodélico do primeiro CD, e Elephant, que contou com um solo de bateria e proporcionou a parte mais rock da apresentação.

Mas foi com The Less I Know the Better, o grande hit do último CD da banda, que o público dançou e cantou mais. O show do Tame Impala foi encerrado com New Person, Same Old Mistakes – e não podia ser diferente. A música, de Currents, ganhou mais notoriedade depois de a diva pop Rihanna ter feito um cover dela em seu novo disco, Anti, lançado em janeiro deste ano.

No Lollapalooza, Kevin Parker e seus companheiros de banda fizeram um show que provou a relevância do Tame Impala e que, sem dúvidas, angariou novos fãs. Ao misturarem canções de fases diferentes do grupo, os artistas mostraram que o rock psicodélico pode, sim, misturar-se (e muito bem) com músicas dançantes que flertam com o pop.