Serviços caem 3,9% e têm pior agosto da série histórica do IBGE

Com o resultado de agosto, o volume de serviços prestados acumulou queda de 4,7% no ano e de 5% em 12 meses

O volume de serviços prestados recuou 3,9% em agosto na comparação com o mesmo mês de 2015, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com julho, na série com ajuste sazonal, houve recuo de 1,6%. Com o resultado de agosto, o volume de serviços prestados acumulou queda de 4,7% no ano e recuo de 5% em doze meses.

Este foi o 17º resultado negativo consecutivo e o pior desempenho para meses de agosto dentro da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em 2012. Em julho de 2016, na comparação com julho de 2015, a queda foi de 4,5%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 2,2% em agosto em relação ao mesmo mês de 2015.

Transportes

Os serviços de transporte foram os que mais contribuíram para a queda de 3,9% no volume de serviços prestados, na comparação de agosto com igual mês do ano passado, informou o IBGE. Na mesma base de comparação, os serviços de transporte encolheram 9,0%.

Os serviços profissionais e administrativos, que também têm nos setores industrial e empresarial em geral sua maior fonte de demanda, encolheram 3,7% em agosto em comparação com agosto do ano passado. Os serviços prestados às famílias viram o volume cair 4,1% na mesma comparação, mas, segundo Saldanha, têm um peso menor no setor como um todo.

Jogos Olímpicos

Os Jogos Olímpicos de 2016 fizeram o volume de serviços crescer 2,7% no Rio em agosto em relação a julho, na série com ajuste sazonal. No total do país, o volume de serviços prestados encolheu 1,6% na passagem de julho para agosto, mas o Rio foi o Estado que teve o melhor desempenho e uma das três regiões que ficaram na contramão, com resultados positivos.

“Os Jogos Olímpicos realizados no mês de agosto no Rio de Janeiro trouxeram impactos para o setor de serviços”, diz nota divulgada pelo IBGE. Um dos destaques foram as atividades turísticas, que cresceram 1,7% no Rio, na mesma base de comparação.