Senadoras exigem mudança em reforma para desocupar Mesa

Com a aprovação da emenda proibindo o trabalho das grávidas e lactantes em local insalubre, o texto teria que retornar à Câmara

As senadoras de oposição que ocupam a Mesa Diretora em protesto contra a votação da reforma trabalhista tentam modificar o texto que vai ao plenário hoje do Senado.  O objetivo é acabar com a permissão para trabalho de grávidas e lactantes em local insalubre.

A ideia é aprovar uma emenda vetando essa possibilidade. O plano original do governo era votar a proposta sem alterações no Senado. Com a aprovação da emenda proibindo o trabalho das grávidas e lactantes em local insalubre, o texto teria que retornar à Câmara.

“Isso não atrasa a tramitação. A Câmara não consegue votar uma única mudança em 24 horas? É só um ponto que está sendo alterado”, afirma a senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

Segundo ela, se houver acordo para votar essa emenda a ocupação da Mesa Diretora será encerrado e o Senado poderá retomar a análise da reforma trabalhista. “O conjunto de senadores apresentou 789 emendas e nenhuma foi aceita. Não é possível isso.”

Se isso ocorrer, a proposta de reforma trabalhista volta para a Câmara, onde precisa ser aprovado por maioria simples do plenário – metade mais um dos presentes.