Portugal Telecom é alvo de buscas por suspeita de fraude em Lisboa

Segundo a Procuradoria-Geral da República de Portugal, as suspeitas recaem sobre o investimento de 897 milhões de euros feitos pela PT à Rioforte, holding da família Espírito Santo

A Portugal Telecom (PT) foi alvo de buscas policiais no âmbito de um inquérito sobre suspeitas de fraude qualificada, relacionadas a aplicações financeiras, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR) de Portugal, em comunicado. A investigação é conduzida pelo Ministério Público, em parceria com a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a polícia judiciária e autoridades fiscais.

O advogado que representa a PT, Paulo de Sá e Cunha, confirmou a ocorrência das buscas e acrescentou que o caso estava coberto por leis de sigilo legais de Portugal, o que significa que detalhes não podem ser divulgados. A empresa não comentou. Em reação à notícia, as ações da companhia telefônica chegaram a operar em queda de mais de 6% nesta tarde na Bolsa de Lisboa.

Leia mais:

Minoritários da Portugal Telecom se mobilizam contra venda da empresa

Novo presidente da Oi demite 150 executivos

Oi rejeita oferta de Terra Peregrin por fatia da Portugal Telecom

A investigação envolve o investimento de 897 milhões de euros feitos pela PT à Rioforte, holding da família Espírito Santo, apenas alguns meses antes de o Grupo Espírito Santo (GES) declarar falência. O default levou à demissão do então presidente-executivo da PT, Henrique Granadeiro, em agosto. À época, a PT disse que seu conselho nunca tinha aprovado ou discutido qualquer investimento em dívida emitida pela Rioforte.

A Rioforte deu calote no pagamento de empréstimos, o que levou a uma revisão dos termos de fusão entre a PT com a Oi, deixando a empresa portuguesa com uma participação menor na companhia nova combinada. Atualmente, a fusão está sendo desfeita, já que a Oi está vendendo ativos de telecomunicações da PT ao grupo de telecomunicações Altice.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)