Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OGX desaba e faz Ibovespa iniciar semestre no vermelho

No final do pregão, o Ibovespa teve queda de 0,48%, para 47.229,59 pontos, enquanto as ações de Eike recuaram 29%, a 56 centavos

Apesar dos ganhos das bolsas internacionais neste início de segundo semestre, a Bovespa sucumbiu nesta segunda-feira devido ao desempenho das ações da OGX. Os papéis da petrolífera de Eike Batista fecharam em queda de quase 30% e pressionaram o Ibovespa para baixo, além de prejudicar o comportamento de Petrobras, Bradesco e Itaú. Vale e siderúrgicas, em contrapartida, subiram firmes e evitaram um escorregão mais acentuado do índice.

No final do pregão, o Ibovespa teve queda de 0,48%, para 47.229,59 pontos. Na mínima, registrou 46.676 pontos (-1,65%) e, na máxima, 47.674 pontos (+0,46%). No ano, acumula baixa de 22,51%. O giro financeiro totalizou 5,898 bilhões de dólares.

A petrolífera de Eike Batista roubou a cena após anunciar ter suspendido o desenvolvimento dos três poços de produção do Campo de Tubarão Azul, ao concluir que não existe, no momento, tecnologia capaz de viabilizar economicamente qualquer investimento adicional que eleve o perfil de produção na região.

Com a notícia, OGX caiu 29,11%, a maior baixa do Ibovespa, cotada a 56 centavos, piso histórico. O comportamento dos papéis arrastou outras ações de empresas do grupo X: LLX ON ficou na vice-liderança, com -10,10%, seguida por MMX ON, -9,52%.

Petrobras ON recuou 0,61% e a PN caiu 0,12%. Os investidores colocam na conta a dúvida sobre um possível fracasso na exploração da companhia, fazendo uma analogia ao que ocorreu com a OGX. Bradesco PN, depois de operar em baixa quase o dia todo, fechou estável, enquanto Itaú Unibanco PN recuou 0,90%. No caso dessas ações, o efeito OGX se deu pelo fato de os bancos serem credores da empresa.

Gerdau PN subiu 5,08%, Metalúrgica Gerdau PN ganhou 3,06%, Usiminas PNA teve alta de 0,27%, Usiminas ON valorizou-se 1,70% e CSN ON avançou 1,34%. Vale ON subiu 1,34% e PNA teve ganho de 0,85%.

No exterior, as bolsas subiram influenciadas por dados positivos da Europa e Estados Unidos. O Dow Jones fechou em alta de 0,44%, aos 14.974,96 pontos, o S&P subiu 0,54%, aos 1.614,96 pontos, e o Nasdaq teve valorização de 0,92%, aos 3.434,49 pontos.

Dólar – Os indicadores positivos divulgados na Europa e nos Estados Unidos pela manhã impulsionaram a busca por ativos de maior risco em todo o mundo e pesaram sobre o dólar. No dia, a moeda norte-americana registrou perdas ante o euro, o iene e as divisas com elevada correlação com commodities, como o real. No Brasil, porém, o recuo do dólar foi contido, em uma sessão marcada pela baixa liquidez. A divisa dos EUA no mercado de balcão encerrou nesta segunda-feira em leve queda de 0,04%, a 2,230 reais. O dólar chegou a subir em alguns momentos pela manhã, mas o viés de baixa permaneceu na maior parte da sessão.

(Com Estadão Conteúdo)