Oferta de ações do BB Seguridade pode chegar a R$ 12 bi

Se confirmado o número, este será o maior IPO no Brasil desde 2009

Em 2012, o resultado das operações de seguros, previdência e capitalização do Bando do Brasil somou R$ 2,35 bilhões

A oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da BB Seguridade poderá levantar até 12,15 bilhões de reais, segundo comunicado divulgado pelo Banco do Brasil nesta quarta-feira. Se confirmado o número, este será o maior IPO do mercado brasileiro desde outubro de 2009, quando o banco Santander levantou 14 bilhões de reais em sua oferta inicial de ações.

Nos termos apresentados pelo BB, a distribuição secundária (quando os atuais acionistas vendem suas ações no mercado e não a própria empresa) inclui a oferta de um lote inicial de 500 milhões de ações ordinárias (com direito a voto no Conselho de Administração) e até 175 milhões de papéis em lotes suplementar e adicional – que serão ofertados se a demanda for maior do que a oferta inicial.

O valor de 12,15 bilhões de reais é uma estimativa com base no seguinte cálculo: soma-se o total de ações que podem ser vendidas (675 milhões) e o resultado é multiplicado pelo teto do intervalo de preço estimado pelo mercado (entre 15 e 18 reais). O preço das ações, contudo, pode variar de acordo com a demanda pelos papéis e será divulgado em 23 de abril. O período de reserva para os investidores interessados na operação vai de 10 a 22 de abril. As ações serão listadas no segmento Novo Mercado da bolsa brasileira.

Entre as intenções do BB com o IPO da companhia está obter recursos para ampliar a escala das operações, reduzir custos e despesas e também expandir suas operações para corretagem de seguros para as áreas odontológicos e de saúde. O início das negociações das ações da oferta na BM&F Bovespa será em 25 de abril, sob o código “BBSE3”. A data de liquidação é 29 de abril. Os bancos coordenadores da oferta são BB Investimentos (líder), JPMorgan, Bradesco BBI, Itaú BBA, BTG Pactual, Citi, Brasil Plural e Banco Votorantim.

Em 2012, o resultado das operações de seguros, previdência e capitalização do Banco do Brasil somou 2,35 bilhões de reais, um crescimento de cerca de 4% sobre 2011, segundo balanço anual da instituição. O processo de reorganização dos negócios de seguros do BB começou em agosto de 2008 e envolveu uma série de parcerias. Entre os sócios do BB estão, além da espanhola Mapfre, o Principal Financial Group do Brasil e a Icatu.

Dentro da criação da nova empresa de seguridade, o Banco do Brasil também informou planos para criar a BB Cor, subsidiária da BB Seguridade, para deter participação no capital social da BB Corretora e, eventualmente, no de outras sociedades que atuem no mercado como corretoras na comercialização de seguros, previdência aberta, capitalização e planos de saúde e odontológicos.

Leia mais: Alta da carteira de crédito impulsiona lucro recorde do BB

Banco do Brasil tem lucro recorde de R$ 12,20 bi em 2012

Mercado de capitais – A operação ocorre em um momento de retomada de ofertas iniciais de ações no Brasil. O ano começou com IPO da produtora de software para ao varejo Linx, que movimentou 527,8 milhões de reais.

Segundo o prospecto, investidores não institucionais de varejo poderão fazer reservas de ações do IPO diretamente ou via cotas do fundo FIA-BB Seg. Empregados do Banco do Brasil que participarem da oferta via plano de incentivo não poderão negociar os papéis durante 120 dias.

Em seguida veio o IPO da também produtora de software Senior Solution. O mercado também aguarda pelo IPO da empresa de fidelidade de clientes Smiles, da companhia aérea Gol, que poderá movimentar 1 bilhão de reais segundo informações do IFR, serviço da Thomson Reuters.

Para este ano, também é aguardado o IPO da produtora brasileira de açúcar e etanol Biosev, que retomou a operação cancelada em agosto do ano passado, e da Alupar Investimento, que atua na transmissão e geração de energia, que pode levantar até 1,16 bilhão de reais.

(com agência Reuters)