Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mundo tem mais bilionários, mas fortunas diminuem

No ano passado, 210 pessoas entraram para o grupo daqueles que tem fortuna de mais de US$ 1 bilhão; um terço dos ultrarricos é americano

Os bilionários cuja fortuna excede 1 bilhão de dólares são mais numerosos no mundo, mas sua fortuna total se reduz, como consequência de uma economia mundial em baixo crescimento. A informação é de um relatório do banco suíço UBS publicado nesta quinta-feira.

No ano passado, 210 pessoas entraram no seleto clube dos ultrarricos, que conta agora com aproximadamente 1.400 membros. Desses, um terço (538) é americano, aponta o estudo realizado em associação com a PricewaterhouseCoopers (PwC). A região Ásia-Pacífico e seus 520 bilionários aparece em segundo lugar, ameaçando a hegemonia americana, graças à Ásia. Nesse continente, surge um novo ultrarrico a cada três dias. Já a Europa conta com 339 bilionários.

A fortuna dessa seleta minoria é colossal, de 5,1 trilhões de dólares, equivalente a duas vezes o Produto Interno Bruto da França, embora tenha diminuído 6% em um ano. “Após mais de 20 anos de uma criação de riqueza sem precedentes (…) a idade de ouro desacelera”, escreveram os autores do relatório.

O resultado se explica – segundo eles – por “ventos contrários” que afetam a economia mundial, tais como a queda dos preços das matérias-primas e a valorização do dólar. No entanto, as dificuldades dessa elite mundial são relativas: a fortuna média dos ultrarricos chega a 3,7 bilhões de dólares, enquanto 800 milhões de pessoas vivem em diferentes continentes, segundo o Banco Mundial, com 1,90 dólar por dia.