Meirelles tenta descolar agenda econômica da crise política

Segundo ele, uma crise política só gera crise econômica quando provoca incerteza sobre a condução da política econômica

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta terça-feira que o Brasil vai continuar com sua agenda econômica independentemente “de qualquer coisa”.  A equipe de Meirelles tenta descolar a agenda econômica da crise política.

Segundo ele, uma crise política só gera crise econômica quando provoca incerteza sobre a condução da política econômica.

Meirelles afirmou que já existe consenso de que a atual política econômica vai continuar. Nos últimos dias, o ministro fez teleconferências com investidores de todo o mundo para tentar acalmar os ânimos e fortalecer o discurso de que a agenda está mantida.

Meirelles disse ainda, durante evento em São Paulo, que a inflação de serviços vem perdendo força, afetada pela demanda, o que permite ao Banco Central adotar uma política monetária que ajude na retomada do crescimento.

O governo vive sua pior crise política após o presidente Michel Temer ser fortemente atingido pele delação do empresário Joesley Batista, do grupo JBS. Temer virou alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça, e já há pedidos de impeachment contra ele.

O governo tem importante agenda de reformas no Congresso Nacional, em especial a da Previdência, para tentar tirar o país de dois anos seguidos de forte recessão.

E, para tentar mostrar força, o governo vem se esforçando para ver sua pauta econômica andando no Congresso. Na véspera, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), informou que a votação da reforma da Previdência deve começar entre os dias 5 e 12 de junho na Casa.

(Com Reuters)

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Marcos Cohen

    Enquanto isso a Eletrobrás abre aposentadoria para quem tem no mínimo 55 anos e 10 anos de casa, se querem mostrar igualdade extendam o mesmo ao setor privado!

    Curtir

  2. Meirelles seria um bom nome para a transição que devemos passar. E vamos ver se o POVO aprende a votar até o final de 2018.

    Curtir

  3. ADRIANOVIAJANTE007

    Esta política econômica do Meireles é sinônimo de miséria para todos, basta ver suas reformas, menos para ele e seu grupo político, visto ser banqueiro.

    Curtir