Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mãe é retirada de voo após tentar dar cobertor ao filho

Mulher acusa aeromoça de agressão. Companhia confirma incidente, mas alega que o problema decorreu do comportamento da passageira

Uma mulher peruana alega que foi retirada de um voo da Copa Airlines após tentar entregar uma manta para seu filho. O incidente aconteceu durante uma viagem entre a cidade do Panamá e Lima, no Peru, no dia 15 de julho. Ela e a família foram removidas do avião por policiais. O caso veio à tona após a postagem de vídeos e do relato da passageira no Facebook (veja abaixo).

Sara Garcia diz que ia da classe executiva, onde viajava, até a econômica, onde estava seu filho, para entregar-lhe um cobertor. Ela pretendia dar o seu cobertor ao garoto, porque estava preocupada com o frio do ar-condicionado e o item não está disponível aos passageiros da classe econômica. Mas, segundo ela, uma aeromoça impediu que ela fizesse a entrega, e a empurrou e agrediu verbalmente. Ainda segundo seu relato, a aeromoça teria tirado o cobertor do garoto.

As autoridades foram chamadas, e retiraram a passageira e sua família do voo. Sara alega que ela e o filho, que é menor de idade, sofreram “danos psicológicos” em razão do episódio e abriu processo contra a companhia aérea panamenha em Lima, capital do Peru.

Outro lado

Procurada por VEJA, a Copa Airlines confirmou por meio de nota o incidente, mas disse que o motivo do problema foi o comportamento da passageira. Segundo a empresa, Sara teve uma atitude “inicial disruptiva e agressiva contra a tripulante” e teria até mesmo agredido a aeromoça. A cliente nega a agressão, e diz que a prova disso é que a funcionária caminha normalmente no vídeo. A Copa também está processando a passageira em decorrência do episódio, na cidade de Lima.

A empresa alega que o episódio não se passou conforme o relato, pois Sara teria omitido partes do que aconteceu, e lamenta o incidente. A companhia, no entanto, avalia que a aeromoça agiu de forma correta. “Casos como este são totalmente excepcionais nas operações de uma empresa”, diz trecho da nota.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Osmar Serrragem

    Esta empresa é um lixo, sabidamente. Deztrata sistematicamente brasileiros. É só pesquisar em grupos de viagens no Facebook.

    Curtir

  2. Antônio de Oliveira Marques

    Evidentemente a mulher desrespeitou a autoridade policial tambem.
    Avião de linha comercial não é Av. Paulista
    Vôo é coisa séria, não é lugar para protesto ou soltar a franga.
    Passageiro, ao entrar na aeronave, tem de se comportar dentro das regras.
    As companhia aéreas deveriam fazer restrição para embarcar eleitores do PT.

    Curtir

  3. Vergonha! Por causa de um cobertor! Que miséria! Que mesquinhez! Vergoña, Copa Airlines!

    Curtir