Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Indústrias europeias renovam interesse em café brasileiro

HAMBURGO, 22 Jun (Reuters) – Torrefadores de café da Europa estão novamente interessados em comprar grãos brasileiros essa semana, com produtos com certificação de fontes sustentáveis também sendo procurados, disseram traders nesta sexta-feira.

“Eu acho que alguns dos maiores torrefadores industriais compraram grãos da nova safra de café brasileiro em quantidade considerável essa semana, com interesse em envios para julho/agosto”, disse um trader. “Penso que grandes negócios foram feitos para suprimentos com rótulo de sustentabilidade.”

A demanda continuou com o recente interesse da indústria europeia pelo café brasileiro, enquanto as lavouras do país se desenvolvem.

Os diferenciais dos preços brasileiros continuaram com seus níveis estáveis com o MTGB fino do Brasil a 15 centavos abaixo do contrato setembro do arábica na ICE de Nova York.

“Nós ainda identificamos um tom de manutenção dos diferenciais do Brasil no final da semana, enquanto existe uma preocupação crescente com as chuvas no país, que poderia reduzir a qualidade dos grãos”, disse um trader.

A oscilação dos futuros do arábica essa semana dificultou o comércio físico, afirmaram operadores. Os futuros do café arábica estavam em leve baixa nesta sexta-feira, depois de subirem mais de 3 por cento na quinta-feira, por cobertura de posições vendidas dos investidores, após a maior queda em dois anos na segunda-feira.

Algum interesse de compra nos grãos da Colômbia foi visto com sinais de melhora na safra no país, após meses de repetidas chuvas terem reduzido a produção.

“O clima colombiano permaneceu positivo para o desenvolvimento da safra principal do final deste ano, e para a safra intermediária do ano que vem”, outro trader disse. “Eu observei negócios colombianos normais durante a semana.”

Grãos Excelso, da Colômbia, ficaram 18 centavos acima dos futuros de setembro do arábica em Nova York nesta sexta-feira, ante 23 centavos na semana passada.

Os diferenciais do café robusta se firmaram por uma fraca oferta no Vietnã.

O robusta classe dois do Vietnã foi cotado a 20 dólares acima do contrato setembro do grão em Londres, ante 10 dólares na semana passada.

“Ofertas de exportação vietnamitas foram escassas, apesar do visível interesse de compra europeu”, disse um trader. “A razão parece ser as poucas vendas dos produtores do Vietnã, que aparentemente não estão satisfeitos com o nível dos preços dos futuros de Londres.”

“Algum interesse de compra se voltou para a Indonésia, onde os diferenciais estavam mais baixos que para o Vietnã.”

O café robusta tipo EK-1 da Indonésia foi cotado a 10 dólares abaixo de Londres nesta sexta-feira.

(Reportagem de Michael Hogan)