Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em dia de escolha da presidência, ações da Petrobras despencam

Neste início do pregão, as ações da petroleira caem mais de 6%. Nome de Aldemir Bendine, presidente do Banco do Brasil, já aparece como escolhido

(Atualizado às 14h04)

As ações da Petrobras despencam neste início de pregão de sexta-feira, dia em que o Conselho de Administração da petroleira se reúne para decidir quem substituirá Graça Foster na presidência. Graça e outros cinco diretores renunciaram aos cargos na quarta-feira e o governo correu para substitui-los rapidamente. Por volta de 14h00, os papéis preferenciais (PN, sem direito a voto) caíam 7,45% (9,07 reais), enquanto os ordinários (ON, com direito à voto) despencava 6,73% (9,01 reais). No mesmo momento, o Ibovespa caía 1,10%, a 48.691 pontos.

Leia mais:

Novo presidente, Bendine assumirá Petrobras com diretoria de interinos

Aldemir Bendine deve ser anunciado novo presidente da Petrobras

O atual presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, deve ser anunciado o novo presidente-executivo da Petrobras, após o pedido de demissão de Maria das Graças Foster nesta semana. Bendine, funcionário de carreira do BB, está à frente do maior banco da América Latina desde 2009. Sob seu comando, a instituição estatal liderou uma ofensiva do governo petista para ampliar a oferta de crédito e baixar os juros, para atenuar os efeitos da crise financeira global na economia brasileira.

Por ser bastante alinhado às políticas do atual governo, a colocação de Bendine na liderança da Petrobras frustra expectativas de investidores e analistas de que o novo líder da petroleira viesse do mercado.

A escolha também indica as dificuldades que Dilma teve para costurar a sucessão na Petrobras de forma súbita, com a saída repentina de Graça Foster, como ela prefere ser chamada, e de cinco diretores da companhia.

O Conselho de Administração da Petrobras se reúne nesta sexta para eleger um nome indicado pela Presidência da República para ocupar a cadeira de presidente-executivo da petroleira, que está no centro de um escândalo bilionário de corrupção.

(Com agência Reuters)