Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dólar sobe 1,10%, à espera das reuniões de Fed e BC do Japão

Em dia de realização de lucros, Bovespa fechou em baixa de 0,53%, a 56.871 pontos

O dólar fechou em alta de 1,10% nesta segunda-feira, a 3,29 reais, com investidores preferindo estratégias defensivas antes das reuniões desta semana dos bancos centrais americano e japonês. No contexto local, os agentes mantiveram a cautela em relação às perspectivas fiscais enquanto aguardavam novos desdobramentos do cenário político. Já o índice Bovespa teve queda de 0,53%, a 56.871 pontos.

“A semana está cheia, temos muitos eventos importantes nos próximos dias e predomina o sentimento de cautela”, disse o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado. Investidores não esperam que o Federal Reserve eleve os juros na quarta-feira, quando anuncia sua decisão, mas vêm crescendo as apostas de que pode promover novos aumentos neste ano.

Expectativas de juros mais altos nos EUA podem atrair para a maior economia do mundo recursos atualmente aplicados no Brasil. Por outro lado, têm ganhado força as expectativas de mais estímulos econômicos pelo Banco do Japão, que decide os próximos passos da política monetária do país na sexta-feira.

Leia também
Meirelles: ‘não há’ acerto para União cobrir rombos dos Estados
Brasil foi país que mais aplicou barreiras a importados, diz OMC

Nesta segunda, investidores também evitaram ativos de maior risco diante do tombo dos preços do petróleo em reação a persistentes preocupações com o excesso de oferta e com a demanda fraca. Moedas como os pesos mexicano e colombiano, mercados fortemente dependentes da commodity, figuraram entre as maiores perdas nesta sessão. “Foi um dia ruim para emergentes em todo o mundo. Nesse contexto, até que o Brasil teve bom desempenho”, afirmou o estrategista de um banco internacional.

No quadro interno, investidores mantiveram a postura de cautela que predominou na semana passada, evitando fazer grandes apostas enquanto aguardavam sinais concretos de austeridade fiscal do governo do presidente interino Michel Temer. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reforçou hoje que o governo poderá adotar aumentos pontuais de impostos, mas a decisão será tomada até o fim de agosto, após avaliar a previsão de receitas. “Brasília está em modo de espera”, escreveram analistas da corretora Guide Investimentos em relatório.

Nesta manhã, o BC voltou a vender 10.000 swaps reversos, que equivalem à compra futura de dólares, repetindo a operação que realizou em quase todos os pregões neste mês – só um ficou de fora.

A baixa no principal índice da Bovespa é reflexo de leve realização de lucros, em sessão com intenso noticiário corporativo e com a ação da Lojas Renner entre as maiores quedas, após ter renovado máxima histórica na sexta-feira.

(Com Reuters)