Confiança do comércio fica estável em julho, segundo FGV

Por Fernanda Nunes

Rio de Janeiro – A confiança do comércio se manteve estável no mês de julho, segundo o Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Na média do período de maio a julho o índice ficou em 3,4%, abaixo do apurado no mesmo período de 2011. A mesma comparação feita em junho havia registrado queda de 3,7%. A suave melhora foi influenciada pelo resultado do varejo.

O Indicador Trimestral do ICOM ficou em 125,3 pontos, ante 129,8 pontos em julho do ano passado. “O resultado geral sinaliza que a atividade econômica do setor continua em ritmo ligeiramente mais lento do que no mesmo período do ano passado”, afirmou, em nota, a FGV.

No conceito restrito, a variação interanual passou de -2,7%, no trimestre findo em junho, para -2,2%, em julho. No ampliado, as variações foram de -3,7% e -3,3%, respectivamente, para as mesmas bases de comparação. No segmento veículos, motos e peças, a evolução foi favorável pelo segundo mês consecutivo. Mas a taxa de -4,5% continua mais negativa do que a da média do setor. Em material para construção a queda acelerou, chegando a 9,1%, ante 5,4% em junho. No atacado, a taxa interanual foi de -3,7%.

O Índice da Situação Atual (ISA-COM) médio do trimestre findo em julho ficou 2,3% abaixo do índice referente ao mesmo período do ano passado. Na média do trimestre, 20,1% das empresas consultadas avaliaram o nível atual de demanda como forte e 23,0%, como fraca.

O Índice de Expectativas (IE-COM) recuou 4,2% em julho na comparação com o ano anterior. “Dos quesitos integrantes do índice, o que mede as expectativas em relação às vendas nos três meses seguintes foi o que exerceu maior influência na melhora da comparação interanual entre junho e julho”, informou a FGV. Entre as empresas consultadas, 59,8% esperam aumento e 5,0%, diminuição das vendas.