Ciência sem Fronteiras custa R$ 3,1 mi, diz Mercadante

Por Leonencio Nossa

Brasília – O ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse hoje que o programa Ciência sem Fronteiras, que concederá bolsas no exterior para 75 mil estudantes e pesquisadores, tem por objetivo corrigir uma deficiência na formação de profissionais na área de exatas.

Ele afirmou que o número de formandos em ciências humanas cresceu 66% em 2009 comparado com 2001. No mesmo período, o número de formandos em engenharia apresentou crescimento de apenas 1%. Ele detalhou que o programa pretende conceder 27 mil bolsas de três anos para alunos de graduação; 24 mil bolsas de um ano para alunos de doutorados e 9.700 para cursos de doutorado de quatro anos entre outros.

Mercadante destacou que há um déficit de engenheiros no País e que é preciso investir na formação de novos profissionais e pesquisadores. Ele afirmou que o governo está fazendo contatos e firmando convênios com 238 universidades no exterior para garantir as vagas dos 75 mil estudantes. O programa, segundo ele, está avaliado em R$ 3,1 milhões.