Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOVESPA-Índice opera volátil, seguindo mercados externos

SÃO PAULO, 22 de novembro (Reuters) – A bolsa brasileira operava com volatilidade nesta terça-feira seguindo o comportamento dos mercados externos, que também oscilam entre alta e baixa.

Às 12h57, o Ibovespa tinha leve queda de 0,28 por cento, a 56.128 pontos. O giro financeiro era de 1,4 bilhão de reais.

Na Europa, o índice Eurofirst ganhava 0,19 por cento, enquanto, em Wall Street, o Dow Jones caía 0,14 por cento, e o Standard & Poor’s operava quase estável.

O estrategista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi, lembrou que as bolsas abriram em alta com a notícia de que as agências de classificação de risco não cortaram os ratings dos EUA devido ao fracasso de um “supercomitê” do Congresso para chegar a um acordo sobre a redução da dívida.

“Na segunda houve o medo de que, se não aprovassem o acordo, as agências rebaixariam os ratings, mas elas já falaram que não vão fazer isso, o que fez as bolsas subirem pela manhã”, afirmou.

“Mas o PIB dos EUA foi revisado para baixo (pela manhã), então os futuros norte-americanos começaram a cair mais forte, e o Ibovespa acompanhou”, disse Galdi.

O PIB norte-americano no terceiro trimestre cresceu 2,0 por cento, ante 2,5 por cento registrados na leitura anterior.

No mercado interno, o papel do PDG registrava uma das maiores quedas do índice, de 3,5 por cento, a 6,32 reais. No mesmo setor, MRV caía 2,5 por cento, a 10,12 reais.

Outro destaque de queda era a Light , com recuo de 1,07 por cento, a 26,87 reais, após o Citi rebaixar sua recomendação para “venda”.

Na outra ponta, Marfrig registrava a maior alta, de 4,66 por cento, a 8,08 reais. No mesmo setor, JBS tinha ganhos de 3,02 por cento, a 5,79 reais.

Entre as blue chips, a preferencial da Vale operava em baixa, de 0,19 por cento, a 41,07 reais.

Na noite de segunda-feira, a empresa informou que seu presidente, Murilo Ferreira, vai submeter ao Conselho de Administração uma proposta de nova estrutura da diretoria executiva, com Tito Martins passando ao comando da área financeira.

Já a preferencial da Petrobras operava em alta, de 0,32 por cento, a 21,87 reais.

(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Sérgio Spagnuolo)