Banco do Brasil fecha 2010 com lucro líquido 15,3% maior

O BB registrou ganho de 11,7 bilhões de reais e ativos totais de 811,2 bilhões de reais, consolidando-se como o maior banco da América Latina

O Banco do Brasil (BB) encerrou o ano passado com um lucro líquido de 11,7 bilhões de reais, o que representa um aumento de 15,3% ante os 10,1 bilhões de reais de 2009. Segundo informou nesta quinta-feira o banco, o resultado recorrente de 2010 foi de 10,7 bilhões de reais, que implicou uma evolução de 25,4% em relação ao ano anterior. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido (RSPL) no fim do ano passado era de 27%. Em 2009, o índice alcançava 30,7%.

Acervo Digital VEJA: Por que os bancos têm lucros tão grandes no Brasil

No quarto trimestre, o lucro líquido do BB somou 4,0 bilhões de reais, com queda de 3,68% ante os 4,15 bilhões de reais de igual período de 2009. Os resultados foram apresentados no padrão brasileiro de contabilidade. A instituição financeira afirmou que divulgará até 29 de abril as demonstrações contábeis consolidadas, em conformidade com as normas internacionais de contabilidade (IFRS).

Desconsiderando efeitos extraordinários, o banco teve ganho de 3,7 bilhões de reais nos últimos três meses de 2010, mais que o dobro do 1,819 bilhão de reais obtido um ano antes. Uma média de previsões de oito analistas realizada pela Reuters estimava resultado positivo de 2,85 bilhões de reais para o período.

A carteira de crédito total do banco no fim de dezembro somava 358,3 bilhões de reais, 19,1% maior que a do ano anterior. No conceito ampliado, que inclui garantias prestadas e títulos e valores mobiliários privados, a carteira de crédito ficou em 388,2 bilhões de reais no ano, com aumento de 20,8% sobre a 2009. “A expansão da carteira de crédito decorreu do crescimento das concessões para financiamento ao consumo, investimento e crédito imobiliário”, disse a administração do banco, em comunicado sobre os resultados.

O BB chegou a dezembro de 2010 com ativos totais de 811,2 bilhões de reais, que representa uma crescimento de 14,5% ante dezembro de 2009 e de 1,8% sobre o fim do trimestre anterior, “consolidando-se como o maior banco da América Latina em ativos totais”, ainda de acordo com o informe.

(com Agência Estado e Reuters)