Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aneel propõe elevação da cobrança das bandeiras tarifárias

Bandeiras vermelhas passariam de R$ 3 para R$ 5,50, enquanto bandeiras amarelas passariam de R$ 1,50 para R$ 2,50 por cada 100 kWh

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou nesta sexta-feira uma proposta de revisão do sistema de bandeiras tarifárias, que aumenta o repasse adicional aos consumidores. Para a bandeira vermelha, que indica maior elevação dos custos de geração de energia, a cobrança adicional passaria dos atuais 3 reais para 5,50 reais por cada 100 quilowatt-hora (kWh). Já para a bandeira amarela, a cobrança adicional subiria de 1,50 real para 2,50 reais por cada 100 kWh

A revisão amplia os repasses dos gastos com geração de energia para as bandeiras tarifárias, incluindo o risco hidrológico e a exposição involuntária ao mercado de curto prazo. O diretor da Aneel e relator da proposta, Tiago Correia, estima que a arrecadação das bandeiras poderá cobrir despesas de 17,8 bilhões de reais no ano ante 10,6 bilhões previstos anteriormente.

Leia também:

Governo pode estender horário de verão até março, diz ministro

Risco de falta de energia já ultrapassa limite tolerável no Sudeste

Aneel reajusta em até 45,70% tarifas de cinco distribuidoras da CPFL

A revisão ficará em audiência pública de 9 a 20 de fevereiro. A expectativa é de que as novas bandeiras tarifárias, que passarão a ser nacionais em vez de regionais, entrem em vigor a partir de março. A Aneel solicitou que as distribuidoras façam campanhas de comunicação para explicar para os consumidores como serão realizadas as cobranças.

Bandeiras tarifárias

Bandeiras tarifárias (VEJA)

(Com agência Reuters)