Dirigente paga até festa com contribuição sindical

Federação da Agricultura de São Paulo paga festa do presidente, Fábio de Salles Meirelles. A família dele tem empregos na estrutura da entidade.

 

A contribuição sindical paga pelos agricultores de São Paulo tem ajudado a arcar até com custos de festa. No dia dez de julho, foi realizada no Iate Clube de Santos, na Avenida Higienópolis, a festa de bodas do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de São Paulo (Faesp), Fábio de Salles Meirelles. Documentos obtidos por VEJA mostram que a Faesp pagou 20 mil reais somente com a locação do salão do Iate Clube. A Faesp recebe contribuição sindical de mais de 200 sindicatos de agricultores e é ligada ao Senar, integrado ao Sistema ‘S’.

Na festa de julho, os 350 convidados se serviram de uísque e champanhe, em uma estrutura montada por um dos buffet mais sofisticados da cidade. Procurada pela reportagem, a Faesp informou que a entidade teria feito apenas a reserva do salão e que depois Fábio Meirelles teria feito o reembolso. Não é o que mostra a cópia do contrato. Lá está claro que a Faesp é quem pagou o dinheiro. Uma fonte ligada à direção da Faesp informou a VEJA que Fábio Meirelles, assim que foi procurado pela reportagem, pediu ao jurídico para redigir contratos com datas retroativas, para ludibriar a contabilidade.

Ao longo das últimas duas décadas, Fábio Meirelles empregou familiares na estrutura da Faesp e do Senar. Um dos filhos, Fábio Meirelles, é representante da Faesp junto ao Instituto Pensar Agropecuária e ganha para participar de reuniões. O outro, Tirso Meirelles, tornou-se vice-presidente da Faesp e passou a controlar o Conselho Nacional de Pecuária de Corte. A filha Telma tornou-se sócia da empresa Connect, que faz a cobrança de imposto sindical para a Faesp e usa a estrutura da entidade. A outra filha, Tânia, trabalha no gabinete da presidência da Faesp e ajuda a cuidar das festas. VEJA tentou falar com Fábio de Salles Meirelles, ao longo das últimas duas semanas, sem sucesso. Nas conversas reservadas com a diretoria, Fábio comentou que não tinha que dar satisfações à imprensa e que resolve qualquer problema pagando muito dinheiro.

NOTA DA FAESP – A Faesp enviou nota informando que firmou contrato para aluguel do Iate Clube, mas garantiu que o pagamento foi feito pelo presidente da entidade Fábio Meirelles. Na mesma nota, a entidade garante que todas as demais despesas de decoração e buffet também foram pagas pelo presidente. Na nota, a Faesp informa que Tirso Meirelles foi eleito pela segunda fez vice-presidente da entidade.  Telma Meirelles, segundo a nota, é sócia da Connect, que presta serviços para sindicatos e entidades federativas, dentre as quais a própria Faesp, “sendo que seu serviço é remunerado apenas em decorrência do êxito nas cobranças”. Na nota, a Faesp informa que Tânia Meirelles é empresária e sócia de empresa de eventos musicais e que não tem vínculo com a entidade. A Faesp informa ainda que Fábio Filho exerce o cargo de vice-presidente do Instituto Pensar e que trata-se de cargo não remunerado, sem vínculo com a entidade.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A Industria das entidades sindicais e’ a mais prospera das pilantragens brasileiras. A tal contribuição sindical só serve mesmo para enriquecer seus dirigentes. E não tem nenhum congressista para fazer uma lei acabando com esta mamata.

    Curtir

  2. J Caride Caride

    É, esta podridão esta no cerne destes canalhas, só uma nova geração poderá atenuar estas atitudes,demora,mais um dia sentiremos vergonha deste passado ignóbil.

    Curtir

  3. Marco Águila

    Eita… Aonde tem dinheiro fácil vindo do trabalho alheio, sempre tem essas figuras pra fazer a festa…

    Curtir

  4. jose ribeiro

    Está na hora dos contribuintes darem um basta nesta podridão, que se chama governo-brasil?.
    Agora dá para compreender porque as entidades sociais estão “falidas”?.

    Curtir

  5. Alcivando Lucio

    ONDE FOI PARAR MEU COMENTÁRIO?

    Curtir