Blogs e Colunistas

04/11/2013

às 19:20 \ Vídeos: Entrevista

Ari Friedenbach, pai da vítima de Champinha: “Não seria exagero chamá-lo de besta, no sentido demoníaco da palavra”

PUBLICADO EM 3 DE JUNHO DE 2011

Desde 2003, quando sua filha Liana Friedenbach foi sequestrada, estuprada e assassinada, o advogado Ari Friedenbach se dedica em tempo integral a uma causa: mudar a legislação, que considera excessivamente branda, e permitir que menores de idade possam responder pelos crimes cometidos de acordo com a lei penal. Em 1º de novembro, Liana, então com 16 anos, e o namorado Felipe Caffé, 19, preparavam-se para acampar em Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, quando foram sequestrados por um bando de quatro adultos liderados por Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, na época com 16 anos. Felipe foi morto horas mais tarde com um tiro na nuca. Liana foi torturada e estuprada por todos durante 5 dias, antes que Champinha a matasse com 16 facadas. “Existe o menor infrator”, observa Ari. “E existe uma minoria que é irrecuperável. Não dá para chamar uma pessoa como ele de animal. Não seria exagero chamá-lo de besta, no sentido demoníaco da palavra”.

Parte 1

Parte 2

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

145 Comentários

  1. Bianca

    -

    12/11/2014 às 2:13

    Realmente lamentável oque aconteceu cm esses jovens ,
    Esse champinha deveria ser tratado como o pior dos monstros. .
    chego afikr enjoada só de falar e pensar em um ser tão cruel e diabólico assim.

    a Bíblia diz que td q plantamos colheremos, espero que não demore p ele colher oq plantou. ..da pior e mais cruel forma possível.

  2. Mário Roberto de Lima

    -

    04/10/2014 às 22:25

    Até ontem eu iria votar em branco para deputado, mas depois de ouvir meu diretor na empresa onde trabalho sobre essa história real, tomei a decisão de dar meu voto a esse candidato que luta para mudar essa legislação brasileira.
    Meu voto é seu e acredito que estou escolhendo muito bem.

  3. rosana alves

    -

    20/09/2014 às 23:04

    lixo verme,lodo,esse lixo teria que morrer no sofrimento cruel que ele causou a garota, o menino foi muito rápido mas ela só por deus.morte cruel champinha dos inferno

  4. jacira maria ramos figueiredo

    -

    19/07/2014 às 7:07

    Realmente, o ECA tem que mudar sobre o menos, mas para isso é necessário uma educação de qualidade e e uma educação doméstica dignina da pessoa humanan.

  5. Marcelo

    -

    07/06/2014 às 14:44

    Quanta hipocrisia e falta de caráter de certos advogados. Alguém que justifica e defende um monstro asqueroso como Champinha só pode ser igual a ela.
    Champinha e seus comparsas já deveriam ter sido executados há muito tempo, merecem uma morte lenta, dolorasa, bem sofrida, e sinceramente, espero que terminam a vida assim.
    A palhaçada ainda é maior porque se botar essas pragas na rua e a população linchar aparecem centenas de defensores dos “direitos humanos” para proteger esses marginais.

  6. Daniel Santos

    -

    03/05/2014 às 3:09

    Esse Champinha maldito e desgraçado que interrompeu a vida desses jovens,tem que morrer ou mofar na cadeia!

  7. GEROLDO ZANON

    -

    12/02/2014 às 16:21

    Agora á é tarde o CHAMPINHA já se filiou no PT

  8. sergio

    -

    18/12/2013 às 14:18

    essas pessos q defendem esse monstro sao da msma laia dele pq um cara como esse nao devia nem ta preso e sim condenado a morte com as msma crueldade q ele fez com Liane e cada dia q passa eu tenho mais certeza q nosso pais é a terra da impunidade nossas leis são piadas

  9. PAULO S. SILVA

    -

    24/11/2013 às 19:11

    TRABALHEI NA FUNDAÇÃO CASA (EXTINTA FEBEM) E ‘TOMEI CONTA’ DESSE IMBECIL (CHAMPINHA), DE LOUCO ELE NÃO TEM NADA. AS AUTORIDADES NÃO COLOCAM EM LIBERDADE PORQUE SABE QUE SERÁ MORTO. POIS NEM DENTRO DA FUNDAÇÃO ELE TINHA CONVIVENCIA COM DEMAIS INTERNOS.CHEIO DE PREVILÉGIOS COM TVS, DVDS, ETC…

  10. Rafaela

    -

    15/11/2013 às 1:06

    vejo o povo brasileiro fazendo protesto por causa de aumento de salario por muitos motivos mas ninguem faz nada para muda a lei no brasil todos acreditam na justica divina mas deus falou faca sua parte que te ajudarei ele ja fazendo sua parte deu inteligencia para o homem criar a lei mas nao estamos sabendo aproveita deu nos deu tudo o que precisamos so temos que saber utilizar o que temos fico pensado por faermos protetos por causa do dinheiro se podermos sair na rua e correr o risco de sermos assaltado ou assassinado claro a pessoa morre na familia fica a saudade a pessoa debaixo da terra o bandidi talvez seja condenado aos 5 anos de prisao cumpli 2 claro acabou para apessoa que esta morta entao porque; nao protesta por justica por lei melhores talvez pesamos assim ha nao comigo mas se amanha nem deus permita for com um de nos voces acha que quem controla a lei esta preocupado com quem nao pode se poteger eles eles tem seguranca e quem no tem RESUTADO SE NAO PREOCUPAMOS COM NOS QUEM VAI PROCUPAR A LEI ESTA DO LADO DOS ASSASSINOS ESTRUPADORES DE CRIANCAS ETC…EU PENSO O SEGUITE A LEI DEVERIA SER ASSIM MATOU FICOU PROVADO PRISO PERPETUA OU PENA DE MORTE ESTRUPOU CRIACAS CORTAR SUAS PATES IMTIMAS E PRISAO PERPETUA OU PENA DE MORTE COMCERTEZA EU ACHO UM ABSURTU DARMOS UM DURO DANADO PARA CRIARMOS NOSSOS FILHOS AGUEM SE ACHE NO DIREITO DE TIRAR AVIDA COM COVARDIA OLHA NOS PAISES ESRANGEIEROS COMO E A LEI MAS IISO SO ACONTECE COM NOS BRASILEIROS PORQUE CALAMOS E DEIXAMOS O PODEROSOS FAZEREM OQUE BEM QUEREM AIND DIZEM DA QUE NOSSOS VOTOS DECIDEM O FUTURO DO PAIS SE QUISERMOS UM BRASIL MELHOR PARA FAMOS TODOS PROTESTA PARA O BRASIL SE PRECISO MAS ESSA LEI TEM QUE MUDAR ACORDA BRASIL!!!! FACAM VALERNOSSO DIREITOS

  11. Gustavo Ramos

    -

    12/11/2013 às 12:23

    A(s) pessoa(s) que defende a liberdade para o Champinha só pode ser uma coisa: FELIZARDA. Essa(s) pessoa(s) com certeza absoluta, nunca foi tocada(s) pela violência que é comum na nação brasileira.

  12. Perkins Bruzzon

    -

    09/11/2013 às 14:44

    Eu nunca pensei que diria isso, mas esse é o político que eu colocaria a mão no fogo por ele, não tenho sombra de dúvida que ele é um homem que fará diferença no congresso, conte comigo, farei campanha para ele entre os meus amigos.

  13. Heloísa

    -

    08/11/2013 às 19:09

    Emocionou- me a postura do Dr. Ari Friedenbach na entrevista dada ao Augusto
    Nunes. Como essa tragédia pavorosa que abateu sôbre sua família não foi capaz de tirar- lhe a lucidez e a força extraordinária para lutar pela memória de sua querida filha, e não só por ela, mas por todos nós brasileiros. Todo o meu respeito e solidariedade por uma pessoa tão digna. Oxalá houvesse mais Ari Friedenbach em nosso país, que coitado, está assistindo a uma inversão total de valores…

  14. Jeremias-no-deserto

    -

    07/11/2013 às 23:19

    Eu nutria um enorme respeito ao senhor Ari Friedenbach pelo sofrimento da perda em circunstâncias trágicas da sua filha.Minhas simpatias por ele, levaram a sufragar o seu nome para a câmara municipal. Mas o seu voto a favor do assalto petista ao bolso do contribuinte me decepcionou profundamente. Não foi ético, perdeu meu respeito e me sinto roubado. Para mim, não será mais reeleito.

  15. Marcelo G

    -

    07/11/2013 às 13:39

    Esse advogado está de parabéns! Graças ao voto dele na camara dos vereadores, o paulistano poderá pagar mais IPTU. Isso também é violência.
    Mesmo que este senhor consiga mudar a lei, tem duas coisas que não mudam: o campinha continuará ser ficha limpa e os erros que ele cometeu quando dimenor, não podem pesar em sua vida, hoje dimaior.

  16. Caio Lima - ARI FRIENDENBACH! ... EU O ADMIRO E O INVEJO!

    -

    07/11/2013 às 13:09

    .
    Sim; eu o admiro e o invejo por sua lucidez, equilíbrio e luta por Justiça (que nestepaíz parece não existir).
    .
    Também tenho uma linda filha, com 21 anos de idade.
    E se a coisa fosse comigo, eu não sei se teria o mesmo equilíbrio (louvável e admirável) que você vem demonstrando; eu daria um jeito de mandar esses animais (com o devido pedido de perdão aos verdadeiros animais) para o quinto dos Infernos.
    .
    Lá, sim, seria o verdadeiro lugar dessas bestas!

  17. claudia

    -

    07/11/2013 às 0:22

    Assisti a um programa na A&E, sobre o caso, e além dos detalhes escabrosos ouvi o pungente depoimento de um pai extremamente amoroso, de como o fato afetou toda sua família. É inacreditável que, nesse país, um assunto dessa natureza seja tratado segundo uma Lei caduca, em que um cidadão de bem se veja obrigado a ele mesmo ter de lutar para que a justiça seja feita. Um absurdo! Esse monstro jamais deixará de ser o que é. Pelo que entendo, o problema não é somente a punição exemplar que essa besta fera merece, é bani-lo do meio social pois é sabido que quem possui esse grau de periculosidade, jamais vai deixar de delinquir. A maldade faz parte de sua natureza.

  18. Daise

    -

    06/11/2013 às 14:47

    Se não fosse o empenho deste pai, o marginal já estaria solto há muito tempo. É lamentável que o Estado não proteja o cidadão, apesar de cobrar por este serviço. Que país é este onde um casal de adolescentes não pode passar 2,3 dias na natureza sem que sejam molestados por bandidos? Minha solidariedade esta com esta família, que como tantas, independente da classe social se esforça para criar cidadãos de bem e qdo acontece uma desgraça desta ainda vem contar que a culpa é da sociedade…Me faça o favor, todos a partir dos 5 anos sabem que matar é errado!

  19. Alex Wie

    -

    06/11/2013 às 11:11

    Ao sr. Ari.
    Pode ter certeza, minha familia não esquece deste caso horrendo, jamais esquecerei, assim como não esquecerei do João Helio e do Ives Ota.
    Parabens pelo equilibrio, não sei que faria se tivesse acontecido com meu filho.

  20. Tuca

    -

    05/11/2013 às 22:49

    Até hoje não consigo esquecer este crime bárbaro. Não sei se porque sou mãe. Sofri junto com a família, me coloquei no lugar das mães da Liana e do Felipe. Não consigo esquecer da voz embargada do delegado quando entrevistado, ao descrever o sofrimento da Liana nas mãos desses psicopatas. Realmente esse assassino é um monstro, uma besta no sentido exato da palavra.

  21. Tolerância Zero

    -

    05/11/2013 às 21:08

    A este Nobre Senhor, não há palavras…
    Pelo menos a Ele não lhe foi decretada a ‘pena da conformação’ IMPOSTA à maioria das famílias dos 50 mil assassinatos anuais no país do canibalismo explícito.
    Sua luta também fará Justiça aos “Mártires NINGUÉM”.
    Bravo!

  22. DIROFF

    -

    05/11/2013 às 20:49

    É simples. Manda matar ele com a mesma tortura.

  23. cansadadasilva

    -

    05/11/2013 às 20:43

    Chorei com você também Ari e tive um pensamento de compaixão à sua filha. Na época acompanhei o caso indignada com a lei. Acho que este moleque não deveria nem estar na prisão, afinal, somos nós, os contribuintes, que financiamos o seu banho de sol e as três refeições diárias . Se você morasse aqui, certamente ganharia meu voto. Continue na luta. O Brasil precisa de homens como você. Augusto, mais uma vez, brilhante intervenção.

  24. ana maria

    -

    05/11/2013 às 17:35

    O Dr. Ari merece todo nosso respeito e admiração.
    Acredito que por ser uma pessoa tão equilibrada e
    por ter o conhecimento das leis e dos sofrimentos
    causados pela impunidade, vai saber como conduzir
    as mudanças que a sociedade reclama.
    Votei nele esperando que possa me representar.
    Não sofri uma perda tão grande quando a dele mas
    tenho filhos e sobrinhos inúmeras vezes roubados.
    Moro numa rua na qual não posso caminhar nem de dia pois motoqueiros “de menor” assaltam à mão armada seguidamente.
    A delinquência está em níveis insuportáveis.
    Mudança nas leis e prisão perpétua para essas bestas irrecuperáveis.

  25. Luis Gomes

    -

    05/11/2013 às 15:21

    Desde o grave e detestável acontecimento, o Sr. Ari sempre teve e tem minha solidariedade. A tragédia que se abateu sobre ele e sua família lamentavelmente pode acontecer com qualquer um de nós. Ele entrou na política em 2012 com um discurso de lutar contra a falta de punição aos criminosos, principalmente os menores infratores. Foi eleito vereador na cidade de São Paulo. Eu e minha família, induzida por mim, votamos nele. Sabe o que ele fez na votação do aumento do IPTU em outubro passado? Atendeu ao que queria o prefeito Fernando Malddad. Pronto, seu Ari: continuará tendo nossa solidariedade, como pai de família e cidadão. Como político, nos esqueça. NUNCA MAIS terá o meu voto e de minha família, nos sentimos traídos. Para nós, politicamente, o senhor morreu por não passa de mais um oportunista, vendido ou alugado pelo petismo.

  26. Biagione Rangel de Aarújo

    -

    05/11/2013 às 13:54

    Concordo plenamente com o Sr. Ari, pois o que está na raiz dessa violência praticada pelos menores é a certeza da impunidade e vou mais além, se o menor tiver acompanhado de um adulto, esse adulto deve ter a sua pena agravada, em pelo menos 50%, por corrupção e indução ao crime de menores.

    Esse discurso do coitadismo, da tendência da justiça em abrandar as já inexistentes penas, são os maiores adubos para a violência prosperar e a sociedade ficar refém desse discurso ideológico de que a violência decorre da miséria e da desigualdade social, na realidade esse discurso é outro indutor da violência, que já tem a certeza da impunidade.

    O governo não alardei que tirou milhões da miséria, então porque a violência só faz aumentar e na faixa etária dos menores isso é agravado pelos crimes perversos que a cada dia prosperam mais.

  27. Luiza Russo

    -

    05/11/2013 às 13:48

    Ari, boa sorte na sua caminhada. Nem que seja a ultima coisa que voce faça, temos que aprovar a sua lei proposta !

  28. emi yama

    -

    05/11/2013 às 12:08

    Concordo plenamente com este senhor quanto a mudança da legislação, mas eleito pela oposição, o que o levou a votar junto com o PT o aumento do IPTU contra a vontade da população? Podemos confiar nele para outras questões importantes? Não terá meu voto.

  29. RONALDE

    -

    05/11/2013 às 11:38

    O bairro do Embu-Guaçu em São Paulo é um dos locais mais problemáticos em termos de violência que pode se encontrar. É lamentável a morte dos jovens da maneira como ocorreu, porém, os pais da moça de 16 anos permitirem que ela acampe naquele local com o namorado de 19 é algo que se pode censurar.

  30. contribuinte

    -

    05/11/2013 às 10:41

    Como diz a filosofa do petismo, marilena, essa é a proposta política do PT. Se fosse ao contrário, as vítimas da BESTA tivessem reagido e sobrevivido, seriam perseguidas pelo regime comunista destepaiz, estando presas por mataram um rapaz da periferia, com o governo emitindo nota oficial de pesar pela morte de um rapaz pobre, anunciando medidas sociais com bolsas família, médicos com revalida, escolas, teleféricos com cabines aclimatizadas, casas populares com corretagens de empresas administradas por companheiros e, LEI mais rigorosas para jovens da classe média que são capitalistas consumistas e andam com jóias, dinheiro, cartões de banco, tomam banho e se vestem bem, tudo isso para humilhar a classe pobre nestepaiz

  31. Bruno Sampaio

    -

    05/11/2013 às 10:31

    Tenho uma professora meio riponga com a qual ja constatei que nao da pra discutir. Ele REALMENTE ë uma behaviorista tardia, que acredita que o ser humano çe intrinsecamente bom, e tudo de mal que ele possa via a se tornar çe culpa dessa abstraë[ao chamada *sociedade*. Nao tenho mais paciencia para conversar com gente que pensa (?) assim.
    (desculpe a falta de acentos)

  32. Luiz Carlos (não o Barretão)

    -

    05/11/2013 às 8:57

    Uma sugestação ao Pedro Antônio de Oliveira Machado. Dar um tratamento da melhor qualidade ao Chapinha nos melhores hospitais, de preferência com piscina, ginástica, boa alimentação, nutricionista etc. Quando ele estiver saudável e um instituto de pesquisas ou alguém precisar de um transplante de um órgão ele estará pronto para fazer a doação. O perigo disto tudo é o receptor pegar sua doença através de seu gene criminoso.

  33. Luiz Carlos (não o Barretão)

    -

    05/11/2013 às 8:50

    Todos nós sentimos a sua dor, mas ele não compartilhou a nossa solidariedade, agora eleito como vereador por São Paulo, votando a favor do aumento do IPTU do petralha Haddad. Por que?

  34. faça como o PCC: vote no PT

    -

    05/11/2013 às 8:13

    “Êeeee… eçe senhor tem qui entendê q nóis tem o direitu de se diverti, mesmu qui matano e estrupanu… são direitus açeguradus pelo noços parssas do PT.
    Ass. Ministro 40, Markolla”

  35. o desPTtizador

    -

    05/11/2013 às 8:10

    PT, o partido que BESTIALIZOU o Brasil!

  36. razumikhin

    -

    05/11/2013 às 7:17

    Politicamente corretos ainda não atinaram que não adianta pedir-se a benção a cachorro; nem chamar urubu de “meu louro”; muito menos “proibir o proibido”. Politicamente corretos ficaram cegos da e pela sua própria vaidade.

  37. Mario Sergio

    -

    05/11/2013 às 6:12

    Por que será que copiamos tanta coisa do exterior,
    menos maioridade penal,prisão perpétua e pena de
    morte?

  38. Nicole

    -

    05/11/2013 às 5:48

    Dr. Ari foi eleito pela oposição se bandeou para o PT – traiu meu voto ao ajudar aprovar o exorbitante aumento do IPTU. Como político não merece mais o meu respeito

  39. Aurea Lemos Said

    -

    04/11/2013 às 23:27

    Respeito muito o senhor Dr. Ari, pois está numa luta inglória num país em que o crime compensa… E esperemos que um dia, os brasileiros tenham uma justiça digna e governantes sérios que combatam os crimes hediondos como foi este horrível episódio… Mas para que isto seja possível, o sistema carcerário também tem que ser revisto e reestruturado. E as penas aumentadas para este tipo de crime…Não adianta prender os assassinos para depois de 4 ou 5 anos eles saírem impunes… As famílias das vítimas se sentem completamente injustiçadas e abandonadas pela Justiça e pelo sistema… Mas no Brasil ainda iremos sofrer muito antes que os políticos e os governos tomem alguma atitude… Está tudo errado por aqui… Até quando????

  40. su

    -

    04/11/2013 às 23:13

    essa estoria de passar a mão na cabeça desse tipo de gente e dizer que a culpa é da sociedade me enoja,a unica culpa que tenho é pagar impostos e não ter meus direitos garantidos, tem um monte de jovens que nascem e morrem da mesma situação socioeconomica desse champinha e jamais serão bandidos,isso é má indole e que só tenha filhos quem pode criar quem não pode que sejam castrados macho e femea dai nossa país aos poucos fica livre dessa gente que só tem aparencia de gente mas são piores que animais.

  41. joca

    -

    04/11/2013 às 21:38

    dr. ari: desde aquele evento dantesco, onde uma besta subjuga dois jovens com um belo futuro pela frente, solidarizo-me diariamente com o sr.
    E nesta sua campanha peço-lhe o favor de contar comigo, irrestritamente

  42. -

    04/11/2013 às 21:08

    Ari Friedenbach, merece todo o nosso respeito pela dor que até hoje sente por esta monstruosidade contra sua filha. Ari Friedenbach, um dos vereadores eleitos pela oposição e que passou para o lado do PT, votando a favor do escorchante imposto. Como político, não merece o nosso voto.

  43. heide

    -

    04/11/2013 às 20:15

    Heide, de acordo com as normas de publicação de comentários, textos escritos em maiúsculas não são aprovados. Mais informações em http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/vejam-a-atualizacao-das-regras-da-coluna-para-a-liberacao-de-comentarios/. Um abraço, Júlia Rodrigues.

  44. Roberto Silva 51 RJ

    -

    04/11/2013 às 20:06

    Certos tipos, como esse marginal Champinha, me fazem aceitar com facilidade a pena máxima de prisão perpétua com isolamento (sem qualquer redução de pena possível), ou até mesmo a pena de morte.

  45. Martha Pinheiro

    -

    04/11/2013 às 19:59

    Esses são piores que os animais mais selvagens. Eu sugiro que usem eles para experimentos na Clinica São Roque no lugar dos cachorros, coelhos, etc…

  46. Tomás de Aquino

    -

    04/11/2013 às 19:43

    augusto, q essas bestas irrecuperáveis sejam bem-tratadas, mas q fiquem na cadeia para sempre em nome da felicidade da coletividade, pois os pais, irmãos e amigos dessa moça e desse rapaz passaram por essa existência sem poder gozar da felicidade plena.

  47. Dulci

    -

    04/11/2013 às 19:35

    Ele e monstros semelhantes poderiam substituir os beagles do Laboratório Royal.

  48. renata brito

    -

    03/11/2013 às 23:17

    indignação tem que ser punido independente da idade.

  49. zilah padovan leite

    -

    14/05/2013 às 18:56

    Com muito indignação referente a lei do menor adolescente. Eu penso que para crime não tem idade. Cometeu homicidio independente da idade deve ser punido qualquer criança tem dicernimento ao pegar numa arma seja qual for sabe que a pessoa pode morrer. Então não adianta baixar a idade para 14,16 etc. anos que vai continuar. essa matança por menores.

  50. ualber

    -

    10/05/2013 às 20:58

    O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou nesta ultima quarta-feira que o partido não cogita a prisão de nenhum dos petistas condenados no processo do mensalão. a cachorrada começa la em cima, deve ter sido o resultado la do brasil colonia quando portugal nao sabia o que fazer com as prisoes superlotadas, bandidos, desocupados,estupradores,assaltantes, a escoria de portugal , encheram o navio e despejaram essa desgraça tudo no brasil colonia, o interessante é que alguns evoluiram e se transformaram em politicos, e hoje sao lideres de partidos, sao autoridades, o senado esta cheio deles, as camaras, presidencia, e eles nao vao fazer nada de mal pros bandidos que estao na base da piramide porque sao da mesma raça

  51. Maria Lins

    -

    09/05/2013 às 8:57

    Na época do crime o Champinha era menor de idade e por isso foi apreendido em casa de menores infratores, depois que ficou maior de idade continuou lá e vive até hj na mesma casa para menores infratores. Com cama, comida, banhos e roupas limpas. Sendo pagas todas as despesas por nós.

  52. espartaco

    -

    04/05/2013 às 23:27

    abaixo assinado, mexer na constituiçao, muito burocratico, estamos precisando mais açao do povo, numa propriedade raral na minha cidade, 4 bandidos invadiram primeiro a casa do caseiro bateram nele quando chegamos ja iam estuprar a filha dele,….. tres bandidos nunca mais vao aterrorizar mais ninguem nem, nao gastou nem policia

  53. José Luiz Barbieri

    -

    03/05/2013 às 4:18

    Prezado Augusto Nunes:
    A rede Band de TV já se posicionou favoravelmente à responsabilização criminal do menor “infrator”…Na rede Record tenho visto apresentador de programa policial falar abertamente em pena de morte (genericamente!), responsabilização criminal do menor “infrator”…A Folha de São Paulo publicou resultado de pesquisa apontando que 93% da população paulistana aprova a redução da maioridade penal… A revista Veja tem uma posição oficial a respeito? Já não seria hora dela engrossar o coro?
    A mídia já sabe muito bem para que lado pende a opinião pública atual. O povo não aguenta mais ter só 10% dos crimes elucidados, penas brandas que só estimulam o caos em que vivemos, criminosos maiores e menores zombando da sociedade quando são presos, etc.
    Aí vem o ministro da justiça e dá a posição do governo, afirmando que é contra a redução da maioridade penal. Olhe…entendo muito pouco de política…mas, para mim, o PT poderá estar começando a perder a eleição presidencial quando a oposição resolver explorar o tema.
    Gostei da proposta do Sen. Ivo Cassol (PP de Rondônia), referida pelo José Carlos Werneck (19/01/2013): um plebiscito na eleição presidencial de 2014…porém, não só para tratar do menor, mas do maior e das diversas modalidades de crimes, de uma forma simples e objetiva.
    Receio que o “Novo” Código Penal, em produção por juristas, não incorpore o clamor da sociedade, e venha a ser muito intelectualizado, muito filosófico, muito complacente e, por conseguinte, pouco eficaz. Lembro que a criminalidade é muito lógica e prática …não há perda de tempo com filosofia…interessa somente o resultado.
    Enfim, apenas almejo um país melhor para nós e nossos sucessores. Lembro: a mídia tem um papel fundamental nesse processo histórico!

  54. ualber

    -

    30/04/2013 às 21:10

    talvez teriamos que implantar aqui no brasil a “primae noctes”instituição que teria vigorado na Idade Média, permitindo ao Senhor Feudal, no âmbito de seus domínios, desvirginar uma noiva na sua noite de núpcias, aqui no brasil poderia ser assim: toda vez que um político se casasse um homem bom,honesto, e de boa índole teria o direito a primeira noite com a noiva do politico assim pelo menos povoariamos o brasil com gente boa porque é la que começa o grande problema do brasil

  55. ualber

    -

    30/04/2013 às 20:52

    gostaria de perguntar pra presidenta o que adiantou sair da ditadura militar, ganha liberdade de expressao, bla,bla, bla,… mas agora o que vale essa democracia, no brasil ja tem bandido roubando bandido, em sao paulo o bandido estacionou seu carro que ele tinha roubado e entrou na farmacia pra fazer seu assalto, depois do roubo saiu correndo, foi pro carro e o carro tinha sido roubado por outro bandido, veja so,e ainda teve a cara de pau de ir na delegacia fazer o BO, chegando la o dono da farmacia que tinha roubado tava la tambem e reconheceu o vagabundo, seria comico se nao fosse tragico, dona dilma ja fui patriota demais servi o exercito com orgulho, ganhei medalha de honra ao merito,mas hoje tenho vergonha de ser brasileiro, tenho que houvir essa praga de funk, com letras fazendo apologia a prostituiçao, sacanagem, minha filha de 4 anos me pergunta, pai o que é sentar na pica que ta falando na musica? o que eu devo responder pra ela presidenta? que saldade eu tenho da censura nas musicas, na televisao, colaca ordem na sua casa, se ligo a televisao pra assistir com minha familia aparece la essas piranha e com nome de fruta rebolando fazendo movimentos e simulando cena de sexo, essas piranhas com nome de fruta, ta mais pra anarquia, nos perdemos a liberdade de viver, direito de ir vir, etc…, o brasil virou uma bagunça, somos roubados, saqueados, estamos presos na nossas casas, encurralados por esses vagabundos desgraçados, o brasil nao tem mais moral,to com saudade da ditadura, na epoca que bandido bom era bandido morto,na epoca que quem devia tinha que pagar, na epoca que bandido nao tinha a cara de pau de processar a vitima, o bandido entra na padaria em sao paulo mas o dono consegui render o bandido amarrou ele deixou na porta da padaria a policia chegou e levou, mas o bandido processou o dono da padaria por danos fisicos ter machucado ele ao amarra lo, e por danos morais pela vergonha que ele passou ao ficar amarrado na porta da loja, o brasil é motivo de piada no exterior, o ex presidente general joao figueiredo disse no fim da ditadura que o brasil ia arrepender do fim da ditadura, eu prefiro mil vezes a repressao da ditadura do que essa bagunça, essa imoralidade, essa sacanagem, essa de prostituiçao, essa vagabundagem de hoje, nao tem mais ordem, na bandeira brasileira deveria estar escrito é desordem e regresso, na ditadura pelo menos vagabundo nao ficava circulando na rua depois das dez horas, nao tinha ninguem transando nas esquinas as 10 horas da noite numa praça, em 28 anos de democracia ja ta assim, imagina agora daqui mais 20 anos, nem quero imaginar
    que pais eu estou oferecendo pro meus filhos?

  56. edriana

    -

    29/04/2013 às 23:26

    ate quando vamos viver com esta ameaça pairando por sobre nossa cabeça o povo clama por justiça., nâo so para Liana mas para todas as vitimas destes: (menores assasinos, menores monstros., menores na idade+grndes marginais.) a sociedade clama por JUSTIÇA.”pena de morte para estes montros”. estamos cansados de viver com medo, ACORDA BRASIL.

  57. ualber

    -

    29/04/2013 às 21:10

    tenho que ficar ouvindo um policial na televisao me orientando que num assalto eu devo entregar meu dinheiro, meu patrimonio, meu carro , nao devo fazer movimentos bruscos, falar pro bandido vou tirar o sinto, fazer isso ou aquilo e etc…,quem tem que ter restriçao é o bandido nao o cidadao que trabalho pelo menos 4 anos so pra pagar imposto em um ano eu quero andar tranquilo na rua ou em qualquer lugar, ou meus filhos sairem e voltarem em segurança, vamo acabar com essa raça ruim, vamos matar tudo, se um filho demora um pouco o primeiro pensamento é que pode ter sido assaltado ou coisa pior, a noite se ouço um barulho la fora pode ser alguem tentando arrombar minha casa, se abro o portao posso ser surpreendido por um assaltante, hoje voce nao pode lavar uma calçada que pode ser sequestrado, e o governo faz a campanha de desarmamento? se o governo nao consegui nos proteger deveria nos armar, o bandido ja tem direitos humanos, bem que poderia ser criado o direitos humanos para nos, pro bandido nem deveria chamar direitos humanos deveria ser chamados direitos da besta,
    temos que fazer alguma coisa

  58. Luciano Cavalcanti

    -

    29/04/2013 às 20:30

    Como os Majistrados tão fazendo vistas GROSSAS a uma situação tão grave, ai vem a ONU em entrevistas nos bastidores dizer que esse PESTE ta sofrendo, o Secretario ou la sei quem LEVA ELE PARA SUA CASA COM VC E SUA FAMILIA, muitas vezes e melhor não fala MERDA para uma sociedade que já vive em falta de Segurança e outrs coisas, e vc mi sai com uma conversa sem FUTURO. O Brasil tem grana para cria Bancos como o BRIKS,para tapar robos mais não tem para Construir um presidio que faça esses vagabundos ASSASINOS PAGAR SUAS PENAS.Pois as Famìlias vão viver ate morrer lenbrando uma BARBARIDADE junto com a saudade que fica. Mais na REALIDADE e um PROMOTOR QUE POR SINAL DEVE SER PARENTE DOS ENVOLVIDOS. Promotor eu se fosse vc não mi passava a pedir uma dezativação de uma unidade que tem esses imfelizes pressos. Pergunto eu a vc se essa moça e esse rapaz fosse sua familia vc hoje tava como? Na minha opinião eu ia da o troco pois como fala la no meu nordeste dente por dente e olho por olho. No meu ponto de vista hoje a Presidenta Dilma tem que tomar a frente disso pois o PT quer ainda se manter no poder vamos trabalhar para uma sociedade mais segura e com Justiça, a Ordem dos advogados pois e um orgão FORTE.

  59. Ely

    -

    28/04/2013 às 22:00

    Eu concordo plenamente, vamos lá Brasil, vamos fazer um abaixo assinado pra nossa presidenta….. Temos que pensar no futuro de nossos filhos a cada dia que passa esse Brasil fica pior, temos que fazer algo….

  60. José Luiz Barbieri

    -

    28/04/2013 às 8:21

    A barbárie se repetiu em SãoPaulo: uma dentista imolada porque tinha só R$30,00 em sua conta bancária.
    Nossa sociedade precisa reagir não só com indignação. É hora de FAZER alguma coisa. Não encaro este espaço como um muro de lamentações. Como cidadão brasileiro vou fazer. E conclamo os demais brasileiros a se mobilizarem.
    Proponho uma mobilização nacional por penas mais severas para crimes hediondos (pena de morte, prisão perpétua), o fim da “progressão” penal e responsabilização do menor que comete crimes hediondos e graves.
    A violência suplantou meus princípios humanistas e ambientalistas, fazendo esgotar-se minha tolerância à legislação criminal vigente, incluindo o Estatudo do “Dimenor”.
    Se o Congresso Nacional está “sem tempo” para tratar do assunto, nós podemos elaborar um projeto-de-Lei de iniciativa popular, contemporâneo, e
    encaminhar para lá a fim de que seja apreciado e votado sob nossa vigilância.

  61. Lewandowski Por Forowski

    -

    27/04/2013 às 16:44

    Meu caro Augusto Nunes… o q seria da gente se não fosse o Trio Parada Dura (você, Reinaldo e o Setti) dar vossa contribuição para acabarmos com a ERA DA IMPUNIDADE!

  62. Hippie Killer

    -

    27/04/2013 às 16:38

    PENA DE MORTE – mas só depois de 5 anos de trabalho forçado, 18 horas por dia, sem sábado e domingo!

  63. renato

    -

    15/04/2013 às 1:40

    pena de morte para esses maniacos ,desgraçados,que sao protegido por essa lei arcaica e ridicula,se fosse no japao esse desgraçado ja estaria eletrocutado.duvido que assassinos como esse nao pensaria duas vezes…

  64. renato

    -

    15/04/2013 às 1:38

    pena de morte para esses maniacos ,desgraçados,que e protegido pela essa lei arcaica e ridicula,se fosse no japao esse desgraçado ja estaria eletrocutado.duvido que assassinos como esse nao pensaria duas vezes…

  65. izilda

    -

    18/03/2013 às 23:22

    Gostaria muito de saber se esse monstro continua atrás das grades…

  66. Firmino Junior

    -

    26/01/2013 às 11:47

    Sou a favor de pretegermos os menores, óbvio, vivemos no tempo dos direitos, enfatizamos tanto isso que esquecçemos dos DEVERES, isso mesmo DEVERES.
    Falamos em direitos o tempo todo, nossas leis são abarrotadas de direitos, tantos, que esqueçemos, da ética, dos bons costumes, que não são impostos, mas que escolhemos conviver com eles quando decidimos viver agrupados em sociedades urbanas.
    Diretos, são pra quem vive respeitando os deveres, já não é mais importante exercer a justiça, mas ganhar a causa, mesmo que utilizando-se de “BRECHAS” na “LEI”, pena que quem se utiliza desses recursos não sofre com as consequencias estupidas de seus atos, nos membros de suas familias, seus parentes sempre estão imunes, não sofrem com as ações dos bandidos defendidos por eles. Consideramos menores para lei, mas não para votar.
    Temos que protegê-los da fome, da falta de educação, de assitência social, não das punições penais, por que é preciso ensiná-los que nossos erros tem consequencias que não deixarão de existir pela idade que temos.
    Evitar que sejam punidos, é proteger o bandidinho que será o chefe do bando no futuro, se sobreviver à vida criminosa.
    A lei TEM, OBRIGATORIAMENTE TEM, que proteger cidadãos, FAZER CUMPRIR A JUSTIÇA, senão perde sua razão de ser, cidadãos esses que cumprem seus deveres, não bandidos fora da lei independente de sua idade, até por que o crime e suas consequencias não são maiores ou menores, são crimes que violam direitos garantidos pelas leis contitucionais e demais leis em geral.
    Se a grandeza é um de nossos objetivos, jamais construiremos um grande futuro protegendo a criminaldade.

  67. Pedro

    -

    20/01/2013 às 16:21

    O sr. Ari tem razão, o ECA deve mudar. É triste ver gente achando que animais sanguinários como o Champinha são “vítimas da sociedade desigual” ou “vítimas do sistema”. Ridículo! Que cada um seja responsável pelos seus atos e pague pelos seus erros. Chega de impunidade no Brasil!

  68. Tuca

    -

    20/01/2013 às 14:09

    Até hoje, quando se fala em crimes de extrema violência, a primeira pessoa que vem em minha mente é a menina Liana. Na época chorei muito e tentei me colocar no lugar dela, só, sendo abusada a todo instante por esta besta. Foi muito sofrimento, hoje oro muito por seus familiares, que o nosso Deus onipotente ajude esta família a superar o sofrimento e que Sr.Ari Friedenbach, consiga a redução da maioridade penal que também é anseio da população brasileira.

  69. CRISTINA BENEVIDES

    -

    20/01/2013 às 13:53

    A RESPONSABILIDADE DOS ATOS QUE VENHA A SER PRATICADOS POR ESTES MONSTROS E UM JUIZ COM O AVAL DE UM PSIQUIATRA DE LIBERAR, LIBERTAR UM MONSTRO DESTE DEVE RESPONDER PELOS ATOS DESTAS BESTAS.

  70. CRISTINA BENEVIDES

    -

    20/01/2013 às 13:51

    Crimes Dolosos e Culposos

    O crime doloso, também chamado de crime ou dano comissivo ou intencional, é aquele em que o agente prevê o resultado lesivo de sua conduta e, mesmo assim, leva-a adiante, produzindo o resultado.

    Classifica-se em direto, quando há a previsão do resultado lesivo mais a vontade livre e consciente de produzi-lo, e indireto, quando há a previsão do resultado lesivo mais a aceitação de sua ocorrência.

    Crime Culposos:
    Culpa Inconsciente ou Pré- Consciente: é uma conduta voluntária, sem intenção de produzir o resultado ilícito, porém, previsível, que poderia ser evitado. A conduta deve ser resultado de negligência, imperícia ou imprudência.

  71. CRISTINA BENEVIDES

    -

    20/01/2013 às 13:50

    PENA DE MORTE E MENORES INFRATORES COMO ESTE CHAMPINHA QUE É DOENTE (VER DR GUIDO PALOMBA) NÃO PODE SAIR DA CADEIA. É PERPÉTUA. SE SAIR ELE VAI MATAR IGUAL OU PIOR AO CASAL DE NAMORADOS. O CHAMPINHA TEM UMA APÓXIA OU HIPÓXIA CEREBRAL NO MOMENTO DO PARTO. SE ELE SAIR, ELE MORRE OU MATA, PALAVRAS DO GRANDE PSIQUIATRA GUIDO PALOMBA E QUEM SOLTÁ-LO E ELE VIER E MATAR NOVAMENTE DEVERIA SER PRESO POR HOMICÍDIO CULPOSO. UM PSIQUIATRA O JUIZ QUE SOLTE CHAMPINHA ESTÁ COLABORANDO SEM TER A INTENÇÃO DELE MATAR NOVAMENTE OU MORRER. ESTE CHAMPINHA TEM QUE FICAR PRESO PARA SEMPRE ASSIM COMO O MANÍACO DO PARQUE.

  72. JOSÉ CARLOS WERNECK

    -

    19/01/2013 às 16:33

    A dor deste pai é imensa.Dele e de tantos outros,que tiveram seus entes queridos,vítimas de tamanha violência.Dizem que o assunto será prioridade este ano.
    Será?
    Redução da maioridade penal pode ser discutida,este ano, pelo Legislativo

    Com o aumento do número de crimes violentos cometidos por menores ,nos últimos anos e o forte clamor popular para que seus autores recebam uma punição à altura dos delitos cometidos,parece que o aumento da maioridade penal ,será um dos temas mais polêmicos em discussão na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, em 2013.
    Três propostas de emenda sobre o tema aguardam, na CCJ,do Senado Federal, decisão da Mesa Diretora para análise em conjunto. Após parecer da comissão, serão votadas em Plenário.
    Caso alguma delas seja aprovada,em duas votações no Senado, será encaminhada à Câmara, onde terá rito semelhante, até a rejeição ou promulgação como emenda constitucional.
    A maioridade penal chegou a ser debatida pela comissão de juristas que elaborou um anteprojeto de novo Código Penal (PLS 236/2012). Os participantes se dividiram quanto à possibilidade de redução do limite atual – uma parte considerou a previsão uma cláusula pétrea da Constituição. Porém a comissão concluiu que, o único caminho para uma mudança seria por emenda constitucional, o que fugia às suas atribuições.
    A Constituição Federal,em seu artigo 228,estabelece a não imputação aos menores de dezoito anos , que por força deste dispositivo ficam sujeitos a punições específicas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente, mas é grande a pressão da sociedade para que os menores infratores possam ser penalmente responsáveis por suas ações
    Crimes hediondos
    Os três textos em análise na CCJ têm diferentes entendimenos quanto ao tratamento dos menores infratores. A PEC 33/2012, de autoria do senador Aloysio Nunes de São Paulo, restringe a redução da maioridade penal,para 16 anos,aos crimes arrolados como inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia,tais como tortura, terrorismo, tráfico de drogas e hediondos previstos no artigo 5º, inciso XLIII da Lei Maior. Também inclui os casos em que o menor tiver múltipla reincidência na prática de lesão corporal grave ou roubo qualificado.
    O senador Ricardo Ferraço, do PMDB do Espírito Santo,relator da matéria na Comissão posicionou-se pela aprovação, destacando que “a sociedade brasileira não pode mais ficar refém de menores que, sob a proteção da lei, praticam os mais repugnantes crimes”. Segundo ele, o direito não se presta a proteger esses infratores, “mas apenas os que, por não terem atingido a maturidade, também não conseguem discernir quanto à correção e às consequências de seus atos”.
    Situação em outros países
    Acir Gurgacz do PDT de Rondônia foi além em sua proposta (PEC 74/2011): para ele, quem tem 15 anos também deve ser responsabilizado penalmente na prática de homicídio doloso e roubo seguido de morte, tentados ou consumados.
    A proposta, ainda sem relator na CCJ, cita exemplos do Mapa Múndi da Maioridade Penal, elaborado,em 2005,pela UNICEF.Segundo o documento, nos Estados Unidos,a maioridade varia de 6 a 18 anos, conforme a legislação estadual. No México, é de 11 ou 12 anos na maioria dos estados. A América do Sul é a região em que a maioridade é mais tardia: na Argentina e Chile, aos 16 anos. No Brasil, Colômbia e Peru, aos 18.
    Ao justificar o projeto, Gurgacz cita, ainda, levantamento realizado pela Associação Brasileira de Magistrados e Promotores de Justiça da Infância e Juventude, segundo o qual os adolescentes seriam responsáveis por 10% do total de crimes ocorridos no Brasil.
    “A redução da idade da imputabilidade penal de 18 para 15 anos, nos casos de cometimento de crimes de homicídio doloso e latrocínio(roubo seguido de morte), é necessária, dado ao aumento do desenvolvimento mental e discernimento dos adolescentes nos dias atuais e à necessidade de intimidação da prática desses crimes por esses menores”, ressalta,o senador.
    Sem exceções
    A terceira PEC sobre maioridade em análise na CCJ (PEC 83/2011) é mais ampla que as duas anteriores. O texto, do senador Clésio Andrade, do PMDB de Minas, prevê o limite de 16 anos para qualquer tipo de crime cometido. O senador propõe a seguinte redação para o artigo 228: “A maioridade é atingida aos 16 anos, momento a partir do qual a pessoa é penalmente imputável e capaz de exercer todos os atos da vida civil”.
    Na opinião de Clésio Andrade, quem tem 16 anos não só deve ser passível de processo criminal, como deveria ter direito de se casar, viajar sozinho para o exterior, celebrar contratos e dirigir, ou seja, deveria atingir também a plenitude dos direitos civis. Pela proposta, tornaria obrigatório o voto dos maiores de 16 e menores de 18, hoje facultativo.
    “O que temos em mente é dotar o maior de 16 anos de plena cidadania, com os direitos e responsabilidades decorrentes dessa nova condição, inclusive na esfera penal”, diz o autor da PEC, relatada pelo senador Benedito de Lira do PP de Alagoas,
    Participação popular
    Pesquisa do Instituto DataSenado publicada em outubro apontou que 89% dos 1.232 cidadãos entrevistados querem imputar crimes aos adolescentes que os cometerem. De acordo com a enquete, 35% fixaram 16 anos como idade mínima para que uma pessoa possa ter a mesma condenação de um adulto; 18% apontaram 14 anos e 16% responderam 12 anos. Houve ainda 20% que disseram “qualquer idade”, defendendo que qualquer pessoa, independente da sua idade, deve ser julgada e, se for o caso, condenada como um adulto.
    No mesmo mês, o senador Ivo Cassol do PP de Rondônia opôs um Projeto de Decreto Legislativo (PDS 539/2012) que sugere a realização de plebiscito sobre a redução da maioridade penal para 16 anos, a ser realizado já nas próximas eleições presidenciais, em 2014.
    No entender de Cassol,”manter em 18 anos o limite para a condição de imputabilidade é ignorar o desenvolvimento mental dos nossos jovens. A redução da maioridade, por si só, não resolveria os nossos graves problemas de segurança pública. Entretanto, seria uma boa contribuição, pois os jovens, em função da impunidade, sentem-se incentivados à prática do crime”

  73. Mako

    -

    19/01/2013 às 9:26

    No mundo atual, no Brasil atual, a maturidade chega mais cedo. Eu concordo que é necessário punir com rigor também menores criminosos como o Chambinha. Eu me imagino no lugar do Ari e me emociono e sofro com o sofrimento dele. Crimes hediondos não podem seguir sem punição, nem quando são cometidos por menores. Eu fui assaltado por um quadrilha que tinha um menor. Armados. Fiquei a mercê deles dentro da minha casa e estava perfeitamente consciente que qualquer um deles me mataria sem nenhum remorso.

  74. Dulce Regina

    -

    17/01/2013 às 22:36

    Augusto, já assisti várias vezes esta entrevista, venho digitar um comentário e, me emociono, me fogem as palavras. Tenho três filhos, e minha imaginação não chega nem perto, do que sente uma família atingida por esta tragédia. Sou solidária a todas as famílias, que sofrem a perda de um ente querido, nessa situação tão triste. Que Deus, na sua infinita bondade, abençoe, proteja e fortaleça esta família. Coragem, amigo! Liana, e um anjo no céu, zelando por nós.

  75. Ricardo

    -

    17/01/2013 às 8:16

    As leis só mudarão quando esse tipo de tragédia começar a acontecer com as filhas ou netas de senadores,juizes,governadores,milionários,deputados,presidente da república,ex presidentes,etc,etc……Enquanto ocorrer apenas no rodapé da sociedade,com as pessoas anônimas,nada mudará.É incrível,mas é a pura verdade.

  76. Márcio Carneiro

    -

    15/01/2013 às 15:56

    Veio em minha mente agora. Porque o ECA é tão “supremo” em relação a qualquer outra lei e a constituição?

  77. Angelo

    -

    15/01/2013 às 10:30

    Senhores,O Brasil precisa passar a limpo suas leis,
    torná-las de País civilizado,onde o criminoso tem
    que pagar pelo resto de sua vida pelo ato praticado.
    Do jeito que está,a lei é benevolente com o crime
    praticado e o criminoso,hoje mata-se por qualquer
    motivo,porque sabem que a lei é frouxa,lei da
    barbárie,onde a cadeia é período de férias para
    os irracionais,que após soltos ou são usados por
    outros irracionais gananciosos que se aproveitam
    da situação da soltura do criminoso,para lhes fazer
    chantagem e obter algo,ou o criminoso age para ter
    a oportunidade de praticar outros crimes,sabendo
    que presos logo estarão nas ruas novamente e assim
    a corrente segue girando as maiores barbaridades.

  78. dicró

    -

    14/01/2013 às 18:51

    crimes ediondos devem sim ser julgados como adultos.
    eu acho quem tem gente que ainda não entendeu esse crime em questão;a motivação não foi dinheiro, e sim o simples prazer de torturar.O CARA ARRANCOU O MAMILO DA MENINA COM ALICATE!!!! além de outras torturas.
    País onde não existe pena de morte tem que haver prisão perpétua;ou por acaso não existe criminosos irrecuperaveis??

  79. Osvaldo Aires Bade "Comentários Bem Roubados na Socialização" - Estou entre os 80 milhões.

    -

    14/01/2013 às 2:07

    ricardo – 13/01/2013 às 19:33 e turma.
    Da uma olhada nessa turma de loucos e se é possível seguir alguém – e ver se dá para comentar. Algusto, dá um bom artigo.
    http://www.facebook.com/silviamarina.mourao/posts/537890096223428?comment_id=6524760&notif_t=share_reply
    Abraço a Todos
    Osvaldo Aires

  80. ricardo

    -

    13/01/2013 às 19:33

    li, reli e ainda não consigo acreditar no comentário das 14:48…como um individuo se presta a postar tamanha cretinice…esse eh um daqueles comentários dignos de receber uma daquelas espetaculares voadoras bem no meio da massa cinzenta inoperante, mas tu ainda o chamastes de “meu caro”…

  81. Ronaldo

    -

    13/01/2013 às 9:58

    Votasse, desculpe.

  82. Ronaldo

    -

    13/01/2013 às 9:57

    Augusto concordo integralmente como o advogado pai de Liana. Estes “menores” são besta-feras irrecuperáveis e tem de serem responsabilizados pelos seus atos. Um sujeito com 16 anos que realiza uma barbaridade daquela merecia cadeia perpétua.Caso fique solto vai persistir no crime hediondo. Minha solidariedade ao advogado Ari Friendebach. Se voltasse em SP seria seu eleitor. Parabéns Augusto Nunes pela entrevista.

  83. Lilian

    -

    12/01/2013 às 8:25

    Muito oportuna a republicação dessa entrevista, Augusto. É muito importante não esquecermos fatos como esse para que o País se mexa e faça o que é preciso fazer para impedir que se repitam.

  84. musta

    -

    12/01/2013 às 1:23

    Boa Augusto.

  85. ambulance

    -

    11/01/2013 às 15:19

    Caro Augusto, por entrevistas como essa é que tenho uma tremenda honra em ver, escutar e ler seus trabalhos.
    Voçê é um cara de coragem limpa.

  86. Tereza

    -

    11/01/2013 às 11:50

    Para os que julgam erroneamente a dor do Dr. Ari, talvez usando a própria régua, lembro que sua luta incansável por justiça é legítima e representativa de centenas de casos que infelizmente pontuam o noticiário policial em todo o Brasil. Famílias são constantemente arrasadas por crimes cometidos por menores que têm consciência da impunidade que a lei lhes premia.
    Esse tal de ECA, maior incentivador de crimes para menores – e para maiores também, que os utilizam para se livrar de penas mais severas, só me deixa indignada.
    Se morasse em SP, com certeza votaria no Dr. Ari, pois a causa que ele defende é uma chaga que envergonha os brasileiros decentes, estes que produzem, pagam altos impostos e são menosprezados pelos políticos.
    Grande entrevista, caro Augusto! Esse caso não pode ser esquecido, porque essa luta não pode morrer.

  87. JONY

    -

    10/01/2013 às 18:15

    É simplesmente impensável nos colocarmos na pele dessa familia pra tentar imaginar o que se sente.
    Ha poucas semanas um canal a cabo exibiu um documentario com a participação de policiais e do proprio pai de Liana.
    Assisti e fique aterrorizado, claro, por constatar o quão perto ‘aquilo’, que alguns chamam de ‘pessoa’, esteve proximo de ser libertado pela nossa ‘justiça’.

    Um pai ou uma mãe teria sim, a luz da justiça humana, o direito de executar pessoalmente uma ‘coisa’ como aquela.

    Mas enfim, a proposta do Dr. Ari é perfeita, e ha muito ja penso como ele, pois sei também que em paises civilizados, não o nosso, os direitos humanos são respeitados, porem, em casos escabrosos como esse, um ‘ser’ é devidamente punido com perpetua.

    Não sou da area da psiquiatria, mas é evidente que uma ‘coisa-pessoa’ nesse grau de monstruosidade jamais terá condições de viver em sociedade.
    Tanto é, que os proprios presidiarios, se pudessem, exterminariam com ele na propria cela.

    Mas enfim, vou acompanhar mais de perto os passos desse projeto do Dr. Ari, e certamente teremos noticias em breve, para buscarmos o fim dessa lei absurda que protege os ‘menores’ monstros, e desampara as familias, que são as unicas e verdadeiras vitimas.

  88. MAYA

    -

    10/01/2013 às 15:40

    Pau que nasce torto, não tem jeito,morre torto. O mau tem que ser
    cortado pela raiz,pena de morte já .

  89. arilson sartorato

    -

    10/01/2013 às 14:48

    OPINIÃO MINHA, MAS ESTE SENHOR ESTÁ USANDO A TERRÍVEL TRAGÉDIA ACONTECIDA COM SUA FILHA, PARA SE PROMOVER, VIROU ATÉ VEREADOR.GOSTA DE FICAR NA MÍDIA.

    Discordo, caro Arilson. Ele luta bravamente pela aprovação de leis que acabem com a impunidade de assassinos como Champinha. abração

  90. Santeófilo

    -

    10/01/2013 às 11:59

    Monstro? Besta demoníaca? Não. Infelizmente esse desditoso pai está enganado. O assassino Champinha é apenas um humano que decidiu descumprir as regras. Enfim, ser livre. Façam uma pequena pesquisa, no lugar onde ele vivia, e certamente vão constatar horrorizado que a maioria das pessoas vai dizer que ele era um bom filho, um ótimo irmão, um vizinho cordial e por aí vai. É obvio que estou com todos os que defendem mudanças nessa excrescência chamada de estatuto das crianças e adolescentes. Enfim, esse tal de ECA. Aliás, vou mais além: para crimes dessa natureza, quando o menor se tornar adulto, sou plenamente a favor que ele pague o crime com a pena de morte. Inclusive com a família da vitima tendo o direito de ir assistir a execução e tudo o mais. Mas querem saber? No meu dia a dia o que eu faço mesmo é apelar para que um parente, ou um filho meu, jamais se depare, e fique a mercê, de um seu semelhante liberto de qualquer tipo de amarras.

  91. Bruno

    -

    10/01/2013 às 10:22

    Estou com ele. Não tem que haver limite de idade para punição de pessoas que, simplesmente, são sociopatas irrecuperáveis e que voltarão a matar, estuprar, etc assim que forem postas em liberdade. Quanto aos defensores do politicamente correto a qualquer preço, para quem acha que o ser humano é uma folha em branco moldada inteiramente pelo meio em que vive, espero, de coração, que nenhum desses defensores cruze o seu caminho com um desses “injustiçados sociais”. Seria um meio muito doloroso de mudar de idéia e abrir os olhos para ver o mundo como ele é, e não como se deseja que ele seja.

  92. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na Socialização"

    -

    10/01/2013 às 5:07

    Augusto, a primeira oportunidade que tiver vou liquidar um bandido qualquer – só isso. já que não vou poder tortura-lo.
    Depois da entrevista ainda vou chorar por um bom tempo, mas essa entrevista vai me ajudar bastante a combater gente que te pergunta quanto tu ganhas por exemplo.
    Abraço a todos e faço da minha vingança a de vocês.
    Osvaldo Aires

  93. Rubens Vaz

    -

    10/01/2013 às 1:10

    Boa noite amigo,
    Mais um entrevistado de peso. Acho esse sujeito um cara admirável tanto que o sigo no twitter.
    É um exemplo de estoicismo, e conjuga sua indignação com propostas coerentes. A do menor infrantor é simples e eficaz. Nada de maioridade aos 16 anos.
    Abraços

  94. Ivomir

    -

    09/01/2013 às 23:18

    Se o Dr. Ari, pai da Liana, mandar 15 tiros de 7.65 na cabeça e no peito deste Champinha quando ele fatalmente sair da cadeia, peço à promotoria e a defesa para me convocarem ao juri popular que, sem peso nenhum de consciência, eu inocento o Dr., sem necessidade de uma gota de saliva por parte da promotoria e da defensoria. Não vejo outra forma de se consertar esta realidade e despertar algum receio nestas “bestas, no sentido demoníaco da palavra”, a não ser através de execução justa e sumária protagonizada por homens que prestam, apesar de não acobertada pela lei. Ou estou errado?

  95. Hellyétt F.

    -

    09/01/2013 às 21:01

    Só uma pessoa sem noção e com mente deturpada pode defender esse facínora Champinha, um monstro da pior espécie, covarde que violentou esses dois jovens indefesos. O Brasil,precisa de medidas mais duras contra esses monstros.

  96. juscelino

    -

    09/01/2013 às 20:41

    coitado , agora mesmo aparece um ativista dos direitos dos bestiais para execra-lo.. a culpa é da menina que não tinha o que fazer……um bom caso para o levandaoski e o roskofoli…

  97. Humberto

    -

    09/01/2013 às 20:23

    Dr, Ari, na época do crime, eu tinha a mesma idade da sua filha. Acompanhei o caso. Digo-lhe o seguinte, da justiça do Senhor nosso Deus esse demônio não vai escapar.

    Fiquem em paz e tranquilos, Deus os recompensará!

  98. claudia

    -

    09/01/2013 às 19:59

    E não nos esqueçamos que, pela lei, a besta-fera já estaria em liberdade, há muito. Foi necessário um penduricalho, graças à pressão popular, tb, para mantê-lo preso, usufruindo aliás de todo o conforto, com direitos `a recreação, como se normal fosse. Irrecuperável, demente, demoníaco, como uma pessoa dessa poderá, um dia, conviver em sociedade? Nosso sistema é mais que falho, prisão perpétua, no caso, e sem nenhuma mordomia. Temos exemplos de pessoas de sua estirpe que após cumprirem pena, voltaram a cometer os mesmos crimes. Não tem volta. A sociedade pede a mudança do Código Penal, obsoleto, principalmente, no que se refere ao menor infrator. O famigerado ECA só protege esses monstros, que a cada dia se superam. Meu total apoio ao dr Ary e admiração por sua luta. Esse tal de Champinha , menor na época, era incapaz de compreender a perversidade de seu ato? Duvido. É monstruoso, e para sempre será.

  99. Luis

    -

    09/01/2013 às 19:04

    É preciso mudar essa eca de ECA. Mas nem PT nem PSDB o farão, com certeza! E infelizmente, a mentalidade dos nossos legisladores e juristas é muito paternalista. Sou favorável mesmo à redução da maioridade penal e à instituição da pena de morte, não para que seja uma “vingança” da sociedade, mas o reconhecimento de que há casos francamente irrecuperáveis e irreconciliáveis, dada a monstruosidade dos atos praticados. Creio que seja uma questão de realismo.

  100. Otávio Campos

    -

    09/01/2013 às 19:03

    É uma trajédia; uma aberração que este Champinha, ou besta, seja posto em liberdade, por causa de hipócritas com ideologias estúpidas.
    Justiça seja feita: pena de morte para este tipo de crime; mais ainda para corruptos que roubam dinheiro público e depois tiram férias em resorts de luxo, mesmo condenados.
    No mais, o problema não é só a questão do menor infrator ou criminoso. O problema é que temos um código penal que beneficia, principalmente, bandidos políticos datado de 7 de dezembro de 1940. Esta “lei” só mudará quando obrigarmos os vagabundos políticos, lotados no que era “Congresso Nacional” (Clube dos Cafajestes, atualmente), a substituirem esta aberração de 1940 por uma nova Lei Penal que possa ser utilizada para colocar atrás das grades cafajestes como Lula, Collor, Sarney e tantos outros criminosos de grosso calibre. Sem isto nada vai mudar e continuaremos a presenciar o surgimento de outros Champinhas da vida dispostos a matar.
    OBS: por favor, não chamem criminosos de animais, pois, animais não cometem crimes; animais não são capazes de racionalizar as coisas, nem o mundo em que vivemos. Eles não criam a natureza artificial, da qual dependemos para viver, nem alteram o meio ambiente para satisfazerem prazeres pessoais. Seres humanos são racionais (a besta Champinha também é). Animais não são seres racionais, pois não causam fome e miséria, e se matam é para sobreviverem se alimentando ou se defendendo. Ser humano mata por prazer e maldade, e os Champinhas da vida o fazem desta forma.

  101. me

    -

    09/01/2013 às 18:22

    Muito triste. Não vou esquecer isso jamais.
    Há bestas demoníacas entre nós e é preciso que sejam afastadas, enjauladas para sempre.

  102. vanda barbosa

    -

    25/11/2012 às 16:21

    esse champinha assim todos todos assassinos, já passaram da fase (ser humano), deveria ter pena de morte para quem tirar a vida de um ser humano, ainda mais por motivo tão fútil. esse lixo

  103. silvia

    -

    13/11/2012 às 22:40

    Meu deus o que acontece com as leis brasileiras,esse champinha nao e gente.o que ele fez com os adolescentes nao e coisa de gente e nem de bicho,ele e o proprio demo.

  104. adecir

    -

    31/10/2012 às 23:03

    fico pensando q deveria de haver um campo de concentraçao,onde seriam levados todos esses monstros,la trabalhariam acorrentados,com escassa raçao,digo raçao no verdadeiro sentido da palavra,nao como agora recebendo 5 refeiçoes diarias,trabalhariam ate implorarem para morrer.

  105. Valentina de Botas

    -

    05/10/2012 às 22:57

    Depois de assistir a esta entrevista, querido Augusto, escrevo num impulso. Perdoe-me, mas é necessária a nota pessoal: enfrento circunstâncias difíceis, difíceis – passageiras, como quase quaisquer outras, alguém querido já me ensinou –, em que posso fazer pouco mais do que já fiz, então, abrandando um pouco de mim mesma, resolvi olhar o sofrimento alheio e estou fazendo um trabalho voluntário que me levou à Vila Brasilândia. Quem esteve lá na terça-feira foi o sr. Ari Friedenbach, falando de suas propostas como candidato a vereador. Esse homem cuja “força foge ao meu entendimento”, como disse bem a leitora Lis Biriti (09/06/2011), é admirável; teve o que considero a experiência limite para qualquer pessoa, que nos deixa no umbral de nossa alma, na contemplação involuntária e impotente de seu dilaceramento: a morte de um filho. A maneira como Champinha, fera incurável, predou a bela Liana e abateu o lindo Felipe também escapa à minha compreensão. O sr.Ari expôs com equilíbrio e clareza suas ideias sensatas. Pretendi falar com ele, lá na Brasilândia, até cheguei perto e ele me cumprimentou. Queria só saber qual o prato preferido dele, preparar aqui em casa, embalar direitinho e mandar pra ele com um abraço escrito. Mas me deu uma coisa, sabe?, e nem consegui falar nada não. Silenciosamente, fiquei por uns minutos perto do homem que soube achar a luz na treva mais densa. Meu voto está entre ele e o Andrea Matarazzo. Adorei tua resposta à Ione (04/06/2011), que perguntou quanto a Veja te paga. O que ela pretendia? É fiscal do IR? Queria te fazer uma proposta de trabalho ou só uma provocação imbecil? Ainda que tua remuneração fosse o equivalente a um apartamento do Palocci por mês, Augusto, estaria aquém do merecido. E eu ia querer ser tua assistente (risos). Um beijo

    Um beijo, Valentina.

  106. Gustavo Bueno

    -

    31/05/2012 às 12:12

    Acompanhei este caso desde o início, angustiado e ligeiramente pessimista antes do desfecho, devido o baixo nível de nossa sociedade. Depois o sentimento passou a revolta, uma revolta impotente. Hoje tenho uma filha e não consigo imaginar meus sentimentos se algo semelhante ocorrese, eu provavelmente não seria forte o suficiente, desejaria matá-lo.

  107. Débora

    -

    15/02/2012 às 2:50

    Emocionante a entrevista… não há como não se emocionar com a angústia desse pai que passará o resto de seu tempo em terra lutando por justiça…não apenas pela sua filha mas para filhas e filhos de toda família brasileira… Homem digno, correto, sensível, humano, adorável… Tudo que posso dizer é que Liana foi uma menina muito abençoada por ter tido o senhor como pai dela. Um abraço.

  108. Lourival Marques

    -

    08/02/2012 às 14:28

    Admiro imensamente a fibra do Dr. Friedenbach… Não sei se eu teria a mesma serenidade e racionalidade diante de uma situação como a que ele e sua família até hoje enfrentam… Desejo-lhe sucesso nessa difícil empreitada que é mudar um estatuto tão estúpido como esse ECA… Se houver algum abaixo-assinado a ser enviado a Brasília para tentar mudar esse estado de coisas, quero assiná-lo também… Força, Dr!!!

  109. Maximiliano Pinto

    -

    11/12/2011 às 6:19

    Dr.vamos mudar essa lei absurda,que sómente favorece o infrator.Porque nao envia um abaixo assinado nacional, para o STF…com objetivo de modificar o ECA…agurdaremos seu parecer,,abçs

  110. n marco ant onio

    -

    11/12/2011 às 6:13

    Dr.nao seria possivel, legal, viável, pedir um plebicito para as autoridades desse pais, para mudar a lei? faça estaremos com certeza absoluta todos a seu favor..nao desista..abçs

  111. Maria Luzia Beltramiz Pasiani

    -

    13/07/2011 às 17:26

    Foge ao meu entendimento a força desse homem.
    Liana mora na minha memória e no meu coração.
    Meu respeito e apoio à Família Friedenbach.

  112. HENRIQUE TREJGIER

    -

    14/06/2011 às 14:42

    Votei e votarei sempre no Dr.Ari. Meu respeito e apoio à Família Friedenbach. Que seja imputável o menor criminoso ediondo com toda severidade.

  113. José Maria de Souza Martins

    -

    12/06/2011 às 8:50

    Infelizmente, a cada dia que passa mais tememos pelo futuro deste país e, isto em todos os níveis. O desrespeito ao cidadão e seus direitos estão presentes em nosso cotidiano. Os deveres lhes são cobrados sem nenhuma complacência. O cidadão vive atrás das grades. Os bandidos (todos) estão livres. É uma inversão de valores; é uma conspurcação das Leis. Até quando?

  114. monica

    -

    11/06/2011 às 8:04

    Dr. Ari conte comigo e com todas as pessoas que conheço, vou ficar atenta, e nas próximas eleições serei seu cabo eleitoral com o MAIOR PRAZER, temos que dar um passo para extirpar esse câncer que se alastra por esse país. Vamos usar a internet, arrecadar dinheiro, divulgar e reavivar na memória das pessoas o caso estarrecedor que infelizmente sua família vive, assim como muitas outras famílias do Brasil. Chega de benefícios para gente que, Deus me perdoe, nem deveria ter nascido. CONTE COMIGO SEMPRE!!!!

  115. Isidor Wajngarten

    -

    11/06/2011 às 0:15

    O problema do nosso país começa no Hino Nacional”deitado em berço esplêndido”.Não acordamos.Esperar o que de um sistema que solta os Battisti da vida ,que prende bombeiros,aceita os mensalões,e,tirar criança da rua é polas na calçadas.

  116. SidneyCWB

    -

    10/06/2011 às 18:51

    No Brasil fora-da-lei é olho por olho. Tem de mandar matar a besta. Se for esperar justiça, esqueça…

  117. gilmar

    -

    10/06/2011 às 10:37

    Vamos lembrar, estamos em uma nação que prende bombeiros como se fossem bandidos e tratam assassinos como Battisti como heroi e lhe dão hotel 5 estrelas.Só uma nação como a nossa pode ter o tal do ECA na forma como esta, bandido é bandido e como tal deve ser tratado se quizermos viver em uma nação temos que inverter urgentemente os valores que ongs (que só aparecem em enterro de traficantes e ~são custeadas com nossos impostos)pregam como corretos, não precisamos reinventar a roda as nação civilizadas temos ótima formas de tratar o assunto e só começarmos a ser mais exigentes.Quanto ao caso nem tenho o que comentar somente no Brasil um caso deste terminaria desta forma, devemos agir como este pai quem sabe mudemos esta nação.

  118. Lis Biriti

    -

    09/06/2011 às 22:49

    Foge ao meu entendimento a força desse homem.
    Liana mora na minha memória e no meu coração.

  119. Laércio Zanini

    -

    09/06/2011 às 9:21

    Cada vez que vejo crimes praticados por menores como esse tal Champinha, lembro-me sempre de um caso na Inglaterra, onde dois com 11 e 12 anos, matarm outro de 6 anos apenas para ver como era a morte. Pegaram 30 anos de cadeia, seus nomes e rostos não foram ocultados e o único direto concedido, será após cumprirem a pena, poder mudar de nome. Nos EUA também pegariam uma cana dura e em alguns estados, até creio que o Champinha serai condenacdo a uma pena de morte.

  120. Lia

    -

    08/06/2011 às 11:36

    Augusto, ainda bem que temos você,para não deixar que crimes hediondos e absurdos como esse caiam no esquecimento.Me comove muito o fato do pai da Liana, mesmo com a sua dor, pense nas outras pessoas e tente mudar a legislação absurda desse país.

  121. Atento

    -

    07/06/2011 às 19:16

    Dr. Ari, sua luta é digna e merece ter continuidade, tanto pela memória de sua filha quanto pelo futuro do Brasil.

    Sua proposta terá tanto apoio popular quanto for melhor divulgada. Insista no seu projeto de Deputado e tente usar a internet como elemento de divulgação e arrecadação de recursos para a campanha.

    E boa sorte na sua missão: espero vê-lo na urna eletrônica.

  122. Luciano

    -

    07/06/2011 às 10:44

    Acho que o Sr. Ari deveria sair novamente candidato a deputado federal, um vereador não pode fazer nada quanto a legislação penal. Tenho ainda uma sugestão (não sou advogado): Modifique a lei, de maneira que nos crimes cometidos por quadrilhas, os adultos sejam totalmente responsabilizados pelos crimes cometidos pelos menores de idade envolvidos, como se eles próprios tivessem cometido os crimes, isto é, eles seriam autores, não cúmplices. Conhecidos meus que foram policiais me diziam que o manual dos bandidos é o código penal.

  123. Fernanda

    -

    06/06/2011 às 21:07

    Aplausos a essa entrevista!Apoio integralmente as idéias do Sr.Ari!Cola no Demóstenes Sr.Ari!Aqui em Goiânia votei no Delegado Valdir,pois ele é a favor das mesmas mudanças na lei…aqui ele deu muita canseira aos menores e outros bandidos!Não vai dar pra viver neste país se continuarmos como está!

  124. Nino (SP)

    -

    06/06/2011 às 18:58

    Sr Ari, sou leitor fiel deste blog e fiquei feliz em sabê-lo por aqui. Acredito que haja milhões de brasileiros como eu que não passam um dia sem pensar na dor de sua família e sem tentar de alguma maneira desejar que vocês consigam conviver com essa tristeza que não tem fim. Tenho uma filha pequena e temo por tudo que possa lhe acontecer em uma sociedade que protege apenas “bestas” como esse verme. Desejo-lhe sucesso em sua luta para não deixar impunes os menores criminosos. Não será luta fácil no Brasil sob o regime lulo-petista, como o senhor deve saber. Mas, desde já, conte com meu apoio. Abraços e desejos de paz.

  125. gilson

    -

    06/06/2011 às 13:49

    PENA DE MORTE É A SOLUÇÃO,,,ENTRE VC TBÉM NESSA CAMPANHA

  126. Anita

    -

    05/06/2011 às 22:42

    Sempre repudiei o estatuto que abre uma porta para o crime, enquanto fecha a outra para crianças e adolescentes entregues à própria sorte. Refiro-me aos irmãos de Rio Grande da Serra, que iam ao conselho tutelar pedir proteção contra as ameaças do pai e da madrasta mas acabaram mortos graças à avaliação positiva em relação ao pai pela responsável do conselho.
    O ECA é um instrumento jurídico predominantemente autoritário e intervencionista, impede o relacionamento saudável entre pais e filhos primeiro porque não podem aplicar-lhes palmadas depois porque o carinho pressupõe promiscuidade, mas o Estado por seus desconhecidos guardiões podem espancar, seviciar e matar jovens infratores. Quando se trata de um psicopata, porém, o aparato protetor do perigoso delinqüente é acionado, desde a imprensa até os defensores dos direitos humanos dos presos, como aconteceu com Champinha, irrecuperável e um perigo se estiver em liberdade.
    Os dispositivos desse estatuto são contraditórios, mas pelo menos um deles é também uma aberração. Trata-se da proibição do trabalho ao menor de 18 anos, salvo se comprovar que é arrimo de família, quando o juiz da vara da infância e juventude defere o pedido de alvará para que o menor de qualquer idade possa executar tarefas duvidosas em logradouros públicos, principalmente cruzamentos onde haja grande fluxo de pessoas e veículos. Antes o menor era aprendiz de um ofício ou profissão, hoje é aprendiz da delinqüência.
    Minha solidariedade às famílias do casal vítima do monstro Campinha e sua corja. Que um movimento pela revogação do ECA cresça e se fortaleça para que nenhum cidadão fique refém de indivíduos de extrema periculosidade.

  127. Varão

    -

    05/06/2011 às 22:20

    Augusto,

    Eu voto no Sr. Ari Friendenbach, sou do interior de São Paulo e não soube que concorreu às eleições como Deputado. Faltou divulgação!
    Esse criminoso chambinha tinha que ser enforcado em praça pública. As leis penais são muito brandas mesmo, essa lei penal boboca, anti natural, porque sempre na história das civilizações até mesmo a Bíblia prevê a pena de morte. Está mais do que culturalmente arraigado em na cultura judaico -cristâ, é um absurdo esse criminoso continuar vivo, nossa lei penal é uma palhaçada, dá vontade de c* nessa lei!

  128. Malu

    -

    05/06/2011 às 20:15

    Parece que a IONE é uma pessoa tipo Champinha, sem sentimentos. Todos os comentaristas ficaram emocionados e tocados em suas sensibilidades e a fulana em questão quer saber quanto vc ganha? Cruz credo! Tem de tudo neste mundo.

  129. Tecio

    -

    05/06/2011 às 19:25

    Augusto, seu sacana (adjetivo carinhoso e não pejorativo). Há muito tempo não me emocionava tanto. Tenho três filhos e não há como não me identificar emocionalmente com o sr. Ari. Não precisa postar este comentário, mas gostaria que o sr. ari soubesse de nossa torcida pelo sucesso nesta luta.

    Senti a mesma coisa, Tecio. Tenho duas filhas. Abração, Augusto

  130. Exilada na NZ

    -

    05/06/2011 às 18:37

    Caro Augusto, muito obrigada por esta entrevista. O dr. Ari, através de você, contribuiu para o exercício de minha profissão. Trabalho com adolescentes infratores, só que num país de primeiro mundo. Genericamente falando, aqui o jovem é julgado, de acordo com o crime, não com a idade. Eu trabalho com a recuperação daqueles que cometerem pequenos delitos, contra o patrimônio. E a origem deles está em famílias negligentes ou abusivas, quase que na totalidade dos casos. E a ação do Estado é no sentido de reabilitá-los, para que não parem nos presídios. Não é uma tarefa fácil, nem mesmo num país de primeiro mundo, imagine no Brasil corrupção.Finalizando,parabéns pela entrevista, que não deixou de ser tocante, mas nada sensacionalista.

    Obrigado, amiga. Pela força e pelas informações. Um abraço

  131. LUG

    -

    05/06/2011 às 18:13

    Ha muita gente, dr. Ary, solidária com sua luta. Pessoas de bem, querendo um Brasil com valores éticos, com civismo, com responsabilidade. Não à corrupção, não à impunidade, nâo à indulgência a monstros como essa besta fera de Champinha e outros animais como ele.

  132. Patty

    -

    05/06/2011 às 12:06

    Dr. Ari, parabéns pela luta e nobreza de espírito. Que bom deve ter sido ser pai da Liana. Não podemos dizer o mesmo sobre as mães e pais dos monstros que tiraram sua vida.
    Confesso que eu seria muito mais vingativa em relaçào a monstros como esses.
    Abs

  133. ricardo

    -

    05/06/2011 às 10:31

    e prestemos atenção na entrevista recente do senador Demostenes Torres…ele praticamente conclama as pessoas civilizadas a se unirem contra essa esbornia que ai se encontra, com leis e medidas absolutamente inversas a realidade, como a que faz desse delinquente uma vitima! esse grande senador precisa alçar voos mais altos e longos… há bons políticos nessepaiz para que possamos começar um processo de mudança em prol do cidadão de bem, mas eles praticamente se “escondem”…

  134. ricardo

    -

    05/06/2011 às 10:25

    finalmente um parente de vitima que se comporta como um ser humano normal e não um desses apalermados cretinos que após o crime saem pela imprensa pregando o perdão do delinquente como se Jesus Cristo fossem…esses idiotas que pedem o perdão dessa gente delinquente são os responsáveis pelos índices alarmantes de violência e crimes brutais dessepaiz! essa gente, que acredito ser instruída e cooptada por esse bando de cretinos dos direitos humanos e grupos de ideologia esquerdista delinquente, colabora para o abrandamento da pena desses marginais, pois incentiva a sociedade a ser tolerante com a delinquência…muita paz para essa família…

  135. Cris Azevedo

    -

    04/06/2011 às 22:38

    Augusto

    O Sr.Ari vai conseguir. Não sabia que ele tinha sido candidato, mas…puxa, eu moro em Floripa, heehehe; Porém, quando ele se candidatar a vereador, vou mobilizar a paulistada toda da familia e os amigos! Vamos chegar lá!

    Meu coração virou do avesso no final da entrevista, Augusto. E minha admiração pelo Sr.Ari aumentou, pois sua força é imensa, para aguentar por anos o que eu senti só por um segundo, ao vê-lo falando de Liana.

  136. Perola

    -

    04/06/2011 às 17:48

    Pena o Dr.Ari não ter sido eleito,mas fico contente por saber que ele será candidato – mais uma oportunidade de ve-lo lutando pela modificação das leis brandas que acabam colocando na rua criminosos – compartilho da opinião de que menores devem ser responsabilizados de acordo com a gravidade do crime cometido.

  137. Juliana

    -

    04/06/2011 às 17:12

    Parabéns, Augusto, pela entrevista. Minha solidariedade total a essa família, eternamente enlutada. Parabéns pelo discernimento do Sr Friendembach quanto à questão ideológica que existe na proteção coitadista aos bandidos de toda ordem e pela noção que há que se fazer mudanças radicais na educação nacional, entre as quais sugiro a imediata remoção de Haddad e seus executivos para Guantanamo.

  138. Ione

    -

    04/06/2011 às 11:19

    Augusto, quanto a Veja te paga por mês?

    Menos do que mereço e mais do que preciso para viver honestamente. Para comprar um apartamento como o do Palocci, eu teria de guardar integralmente o salário por 10 anos.

  139. Mauro de Curitiba

    -

    04/06/2011 às 10:34

    Finalmente se ouve uma voz definindo de forma coerente e racional duas coisas:
    1) a distinção entre menor infrator e menor criminoso.
    2) a balela que é reduzir a maioridade penal para 16 anos ou coisa que o valha.
    O menor criminoso é aquele que, como bem diz o Dr. Ari, vai reincidir no crime que cometeu, seja assassinato, tortura, sequestro, estupro. Tem de responder criminalmente dentro da legislação penal. O Eca não se aplica a ele. Não importa a idade.
    Todo o meu apoio a ele. Como pai de 3 meninas, não sei de onde eu tiraria coragem para enfrentar um drama como o que ele passou.
    Acho que as questões ideológicas e idéias “politicamente corretas” que estão em voga hoje em nosso país, estão transformando o Brasil num lugar ruim para se viver.
    Cheguei ao ponto de opinar junto a minhas filhas que, dado o cenário atual, é preferível não ter filhos.
    Vinicius de Moraes, numa época em que os brasileiros eram mais inofensivos, o país era menos infenso às idéias esquerdopatas, já disse: “Filhos, melhor não tê-los”.
    Basta ver a flor de pessoa que era a vítima e o lixo humano que são seus algozes.

  140. Jeremias-no-deserto

    -

    04/06/2011 às 1:17

    É fácil perceber a dor desse homem cuja filha querida teve a vida ceifada tão cedo e de forma tão bárbara. Mas é importante refletir que as cinco bestas que a atacaram não são os seus únicos assassinos. Legisladores tacanhos que defendem interesses de agremiações e de uma clientela criminosa e que fazem prosperar um injusto sistema judicial nesse país, também têm a sua parcela de responsabilidade nesse e em outros crimes nos quais estejam envolvidos menores.Não é o espírito de piedade ao menor que move o ECA nessa estúpida gestão da política ao menor, mas o oportunismo clientelista de preservar um universo marginal que lhe rende dividendos lucrativos.Como disse Ari, quem mata tem que pagar severamente pelo seu crime, independentemente de sua idade, de seu estado de “coitadismo” e de suas condições finaceiras. De resto, minha irrestrita solidariedade a esse bravo pai, vítima da justiça de nosso país.

  141. fernando pawlow

    -

    03/06/2011 às 23:59

    Bravo Augusto,o “coitadismo”é de fato o cancer nacional,nosso karma coletivo.Acredito que ,alem da responsabilização criminal de asssassinos de qualquer idade,a responsabilização criminal de contemporizadores,”educadores”,”jornalistas” e quaisquer outros apologistas da violencia ,seria sim um avanço que faria o numero de homicidios no Pais ceder um bocado,lembremos de “jornalistas ” que escreviam o “Suposto assassino Champinha”,lembra?Abraços e que esta familia continue com a força que os mantem de pe e lutando

  142. Vera

    -

    03/06/2011 às 22:18

    Dr. Ari, oro sempre para sua filha, Felipe e respectivas famílias. Um dia quase fui conversar com o senhor, em Higienópolis. Aproveito para dizer através do blog, o seguinte: O ECA só serviu para estragar os jóvens, só serviu para “escangalhar” com a autoridade paterna. Tenho certeza que 80% dos perversos já nascem trazendo tal marca. Existe a criança boa e existe a má, aquela que bate, morde e machuca os coleguinhas e que alguns psicólogos insistem em incluir no grupo dos “hiperativos”. Chamar o Champinha de besta, seria elogiá-lo. Ele é o anti-Cristo. Não só ele, mas milhares de matadores, genocidas, fratricidas, soltos no mundo, talvez vítimas da ignorância dos pais ou de suas vaidades e falta de tempo.
    Como mãe vigilante e presente que fui e ainda sou, tive pequenos problemas com meus filhos e agradeço a Deus por terem sido “pequenos”. Hoje, já bem crescidos e também pais, conseguem transmitir aos meus netos aquilo que um dia lhes ensinei. Os pais da atualidade tem medo de seus filhos, e é ai que começam a “desandar” os jóvens.
    A sua luta é a nossa luta!

  143. O Brasil na zona

    -

    03/06/2011 às 21:05

    Alguma pitadas de vidro moído na comida daquele facínora faria efeito em, no máximo, uma semana. Peço a Deus que me dê a paciência e a resignação desse pai, para que um dia eu me aproxime da perfeição como ser humano.

  144. alberto santo andre

    -

    03/06/2011 às 20:45

    NO PAIS DA JUSTICA CAOLHA ,TENTAM ENSINAR QUE UM MENOR DE IDADE ,QUE FISIOLOGICAMENTE JA E ADULTO , PODE ESCOLHER SEUS REPRESENTANTES ,QUE DECIDIRAM INCLUSIVE SOBRE AS VIDAS DE OUTRAS PESSOAS NAO SAO RESPONSAVEIS PELOS SEUS ATOS ,INDO NA CONTRA MAO DE PAISES MUITO MAIS AVANCADOS EM SUA JUSTICA ,E QUE COMBATEM A CORRUPCAO COM MUITO MAIS QUALIDADE QUE A NOSSA JUSTICA QUE E CORPORATIVA E MEDIOCRE.SOMOS O UNICO PAIS NO MUNDO ONDE OS CIDADAOS HONESTOS ,TEEM QUE SE ENVORGANHAR DE SEREM HONESTOS.

  145. Kátia Bacana Bahia de Oliveira

    -

    03/06/2011 às 20:42

    O ECA é uma obscenidade e precisa ser, imediatamente, alterado. Como bem disse o Ari Friedenbach, existem menores infratores e assassinos cruéis que começaram a matar quando ainda eram menores. O que a besta fez com os dois jovens, menores de idade, foi de uma crueldade sem tamanho. Tivesse o assassino 16, 20 ou 50 anos faria igual.
    Os que acham que ele deveria estar solto, no meu entender, tem um distúrbio, tal qual o assassino.
    Pensar no que os pais desses jovens passaram e, ainda passam, sensibiliza e emociona as pessoas normais e, por mais que imaginemos tal dor, jamais conseguiremos chegar ´perto.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados