Blogs e Colunistas

governo

21/04/2014

às 8:24 \ Sanatório Geral

Conselheiro doidão

“Os ministros têm que divulgar as ações do governo, dar respostas mais rápidas e traduzir todos esses números para a vida real. Ninguém sabe o que é PIB. A pessoa quer saber o que pode comprar no supermercado, se a vida melhorou ou não”.

Lula, em conversa com Dilma Rousseff, garantindo que os eleitores ficam muito felizes quando descobrem que a inflação continua subindo.

20/04/2014

às 14:22 \ Sanatório Geral

Sem salvação

“O principal cabo eleitoral do seu governo é você mesma”.

Lula, em conversa com Dilma Rousseff, avisando que o problema não tem solução.

17/04/2014

às 18:18 \ Sanatório Geral

A palavra do Mestre

“O governo se defende pouco. Tem números a seu favor, mas não consegue reagir”.

Lula, durante conversa com petistas e aliados, insinuando ao governo deve começar a escalar desde já um bom time de advogados especializados em provar que um culpado é inocente.

07/04/2014

às 15:46 \ Opinião

‘Esquemas ardilosos’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão deste domingo

A polêmica decisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, de transferir para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa a responsabilidade de decidir sobre a ampliação das investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás proposta pelo PT, é uma manobra claramente procrastinatória destinada, com o incentivo do Palácio do Planalto, a diluir o impacto do escândalo da Refinaria de Pasadena, que, graças às trapalhadas de Dilma Rousseff, acabou criando riscos para o projeto petista de perpetuação no poder. Trata-se de mais uma chicana política dentre as muitas do amplo repertório de que o notório presidente do Senado se vale para levar vantagem em barganhas com o Executivo.

Há nesse episódio, porém, algo muito mais grave do que a cumplicidade de Renan Calheiros com o Palácio do Planalto para transformar em pizza as investigações parlamentares sobre a Petrobrás. É a constatação de que o presidente da Câmara Alta não hesita, por um lado, em desmoralizar o instituto da CPI, poderoso instrumento de que os congressistas – em especial a minoria – dispõem para cumprir com eficiência sua missão constitucional de fiscalizar o Poder Executivo. E, por outro lado, Renan submete mais uma vez a Casa a que preside ao vexatório exercício de se prostrar diante do Executivo.

» Clique para continuar lendo

05/04/2014

às 20:19 \ Sanatório Geral

Perdido no Planalto

“É nítido que não tem ninguém no governo à beira de um ataque de nervos”.

Ricardo Berzoini, ministro de Relações Institucionais, sobre a CPI da Petrobras, revelando que faz alguns dias que não vê Dilma Rousseff.

05/04/2014

às 17:17 \ Sanatório Geral

Gol contra

“Nós sabemos que a gestão da Petrobrás é agora muito melhor”.

Ricardo Berzoini, ministro de Relações Institucionais, deixando escapar que a gestão da Petrobras no governo Lula conseguiu ser pior que a atual.

03/04/2014

às 10:37 \ Opinião

‘De pedras e cobras’, de Dora Kramer

Publicado no Estadão desta quarta-feira

DORA KRAMER

O governo vai de novo enfiando os pés pelas mãos na tentativa de administrar politicamente um problema. No caso, a CPI da Petrobrás.

Na semana passada, deu de graça para a oposição a vitória no primeiro lance. Sem número suficiente para conseguir as assinaturas necessárias, a minoria chegou lá nas asas do descompasso da articulação política do Palácio do Planalto, que ainda não percebeu que os tempos são outros.

O governo quis aplicar agora o mesmo truque que esvaziou a CPI sobre os negócios de Carlos Cachoeira, em 2012: ampliar as investigações de modo a não se investigar nada.

A ideia seria incluir na pauta da comissão da Petrobrás os casos do cartel dos trens do Metrô de São Paulo e irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco.

Manobra primária. Só dá certo quando o adversário está de boa vontade e o exército aliado, unido e fiel. Não é o que acontece. O governo não levou em consideração a evidência de que nos últimos dois anos o cenário mudou. Nada mais é como antes.

» Clique para continuar lendo

08/03/2014

às 18:58 \ Sanatório Geral

Tudo pela pátria

“Não vejo como a iniciativa de formação do bloco pode contaminar nossa relação com o governo. Nós continuamos firmes na base aliada. Não estamos criando caso com nada nem vamos criar. Somos aliados e continuaremos do lado da presidente Dilma na campanha presidencial”.

Jovair Arantes, vice-presidente  do PTB, informando que o partido faz parte mas não participa do blocão formado por legendas que ameaçam desligar-se da base governista, e que voltará a ser dilmista desde criancinha se o reajuste do contrato de aluguel for de bom tamanho.

07/03/2014

às 13:58 \ Sanatório Geral

Topa tudo

“Até agora esperamos um sinal do governo. Um partido do tamanho do PMDB, que sempre foi avalista da democracia, não pode ser medido apenas pelo tempo de rádio e TV na propaganda eleitoral”.

Valdir Raupp, líder do PMDB, revelando que, para o partido qualificado por Ciro Gomes de “ajuntamento de assaltantes”, ”avalizar a democracia” significa “assinar contratos de aluguel com qualquer partido que esteja no poder”.

16/02/2014

às 13:33 \ Opinião

‘Outras perguntas’, por J. R. Guzzo

Publicado na edição impressa de VEJA

J. R. GUZZO

Encaminhamos à apreciação das autoridades federais, novamente, algumas perguntas sobre questões de possível interesse para o leitor. Como costuma acontecer, não virá nenhuma resposta, mas é dever desta revista fazer o que pode, mesmo sabendo que o governo não reconhece a existência no Brasil de cidadãos capazes de ter dúvidas ─ brasileiros que terminaram o ensino básico, pensam com a própria cabeça e podem, eventualmente, não entender direito que diabo está acontecendo com seu país.

Por que o governo continua a olhar sem fazer nada, como se o fato estivesse acontecendo na Transilvânia, o estelionato praticado sistematicamente contra o trabalhador brasileiro pelas altas autoridades que decidem qual é o saldo que ele tem, ao fim de cada mês, no Fundo de Garantia? Ao longo dos últimos quinze anos, cerca de 20% do dinheiro que os trabalhadores têm no FGTS sumiu, mastigado por cálculos de reajuste que sempre ficam abaixo da inflação. O Partido dos Trabalhadores, a esse respeito, já teve onze anos inteiros para fazer alguma coisa a favor dos trabalhadores. Não fez. Por quê?

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados