Blogs e Colunistas

governo

13/10/2014

às 18:49 \ Sanatório Geral

Falta camisa-de-força

“A oposição está querendo dar um golpe”.

Dilma Rousseff, garantindo que as revelações feitas por quadrilheiros nomeados pelo governo sobre maracutaias na Petrobras que beneficiaram o governo são coisa de oposicionistas decididos a derrubar o governo.

15/09/2014

às 14:15 \ Opinião

‘Tortuosos trajetos do dilmês’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão desta segunda-feira

Se algo ficou evidente nos anos de governo Dilma foi a incrível batalha que ela mantém com a língua portuguesa e com o próximo — seja ele quem for. Nestes anos, o País pôde conhecer em detalhes o dilmês, um modo único de falar, que expressa não apenas ideias desconexas, mas evidencia um jeito conflituoso de se relacionar com o interlocutor. Talvez isso explique o fato de, apesar da sua longa vivência política, até 2010 Dilma Rousseff nunca ter disputado nenhuma eleição. Para ela, a comunicação em público e com o público deve ser um tormento. Mas o dilmês não é apenas uma maneira de falar. É também um comportamento que tem caracterizado a sua administração, marcada pelo convívio difícil, se não rude, com seus auxiliares, ações descoordenadas e falhas de harmonia.

» Clique para continuar lendo

14/09/2014

às 21:33 \ Opinião

‘Dinheiro falso’, de J.R. Guzzo

 PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA DE VEJA

J.R. GUZZO

Governos que mentem para o público o tempo todo acabam mais cedo ou mais tarde mentindo para si mesmos e, pior ainda, acreditando nas mentiras que dizem; o resultado é que sempre chegam a uma situação em que não sabem mais fazer a diferença entre o que é verdadeiro e o que é falso. Eis aí onde veio parar o governo da presidente Dilma Rousseff nestes momentos decisivos da campanha eleitoral. Muito pouco do que está dizendo faz nexo – resultado inevitável do hábito, desenvolvido já há doze anos, de navegar com o piloto automático cravado na contrafação dos fatos e na falsificação das realidades.

Entre atender à sua consciência e atender a seus interesses, o governo jogou todas as fichas na segunda alternativa, ao se convencer de que seria muito mais proveitoso tapear o maior número possível de brasileiros com a invenção de virtudes do que ganhar seu apoio com a demonstração de resultados. Não compensa: para que fazer toda essa força se dá para comprar admiração, cartaz e votos com dinheiro falso? Foi o que concluíram, lá atrás, os atuais donos do país. Agora, como viciados em substâncias tóxicas, vivem na dependência da embromação; está muito tarde para mudar, e a única opção é continuar mentindo até o dia das eleições. Sua esperança é que a maioria dos eleitores, como acontece com frequência, ache mais fácil acreditar do que compreender. » Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

06/09/2014

às 3:00 \ Direto ao Ponto

Sábado é o mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório: Paulo Roberto Costa, o delinquente alojado por Lula na diretoria da Petrobras, começou a contar o que sabe

capaveja

ATUALIZADO ÀS 3h

Indicado pelo mensaleiro José Janene, deputado federal do PP paranaense, foi por vontade do presidente Lula que o engenheiro Paulo Roberto Costa assumiu, em 2004, a cobiçadíssima diretoria de Abastecimento e Refino da Petrobras. Nos oito anos seguintes, dele dependeu a aprovação de negócios que movimentam cifras formidáveis, como o aluguel de plataformas e navios, a manutenção de gasodutos e a construção de refinarias.

Desenvolto, hábil, ágil, o homem que Lula logo passou a chamar de Paulinho usou o cargo para consolidar um tentacular esquema de corrupção que juntou altos funcionários da estatal, grandes empreiteiros, figurões do Senado e da Câmara, ministros de Estado, governadores, chefões de partidos subordinados ao Planalto e ladrões especializados em lavagem de dinheiro. Mantido por Dilma Rousseff na cúpula de uma Petrobras reduzida a usina de maracutaias, o executivo larápio acumulou até 2012, quando deixou o cargo, uma fortuna de impressionar petroleiro texano.

Em março, Paulo Roberto Costa foi preso pela Polícia Federal sob a acusação de integrar a quadrilha chefiada pelo doleiro Alberto Yousseff, um dos articuladores da gatunagem de proporções amazônicas que sangra há muitos anos. a maior estatal brasileira. Nesta semana, depois de fechar um acordo de delação premiada, o ex-diretor do templo dos nacionalistas de galinheiro começou a contar o muito que sabe. A reportagem de capa de VEJA condensa as revelações já em poder da PF e do Ministério Público.

A abertura parcial da caixa preta rendeu 42 horas de informações explosivas. Além de reiterar que sábado é mesmo o dia mais cruel para gente com culpa no cartório, o primeiro lote de patifarias avisa que vem aí um escândalo político-financeiro de magnitude muito superior à do mensalão. Nunca se viu um buquê de meliantes tão amplo e vistoso. Nunca uma quadrilha de pais-da-pátria roubou tanto.

Se a Justiça brasileira cumprir seu dever, se o Supremo Tribunal Federal não foi transformado num anexo do Ministério da Justiça companheiro, o presídio da Papuda vai precisar de mais uma ala. Ou de outro pavilhão.

04/09/2014

às 16:02 \ Opinião

Reynaldo-BH: ‘As duas candidatas vieram do mesmo ovo da serpente’

Se há um grupo feliz com a campanha eleitoral é o dos condenados do mensalão.

Os ilustres hóspedes da Papuda e os que cumprem pena no conforto do lar certamente estão aliviados. Não se fala do tema no horário eleitoral, nos debates e mesmo em entrevistas com os candidatos.

Dilma é a candidata do PT. Marina militou até recentemente no partido. As duas NUNCA disseram uma única palavra de condenação ao escândalo que enojou o Brasil. Ao contrário, ambas continuaram a defender o PT ─ defendendo, por associação, os acusados.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

19/08/2014

às 17:12 \ Opinião

‘O califado petista’, de Arnaldo Jabor

Publicado no site do Globo

As eleições para presidente não serão “normais” — apenas uma disputa entre dois partidos para ver quem fica com o poder. Não. Trata-se de uma batalha entre democratas e não democratas. Está na hora de abrirmos os olhos, porque está em curso o desejo de Dilma e seu partido de tomar o governo para mudar o Estado. Não tenho mais saco para tentar análises políticas sobre a “não política”. Não aguento mais tentar ser “sensato” sobre a insensatez. Por isso, só me resta fazer a lista do que considero as doenças infantis do petismo, cuja permanência no poder pode arrasar a sociedade brasileira de forma irreversível.

» Clique para continuar lendo

01/08/2014

às 22:18 \ Direto ao Ponto

Vote na enquete: Além das análises sobre a situação econômica produzidas por bancos, o que o governo e o PT vão querer proibir?

Rui-Falcao-Dilma-Rousseff-e-Lula-size-598

16/07/2014

às 23:12 \ Sanatório Geral

Altivez é isso

“Minha disposição é de seguir fazendo meu trabalho no governo, acho que posso ser mais útil aqui, mas essa decisão não é minha, é da presidenta. Ela pode avaliar que precisa de mim no comitê”.

Gilberto Carvalho, secretário-geral da presidência e caixa-preta do PT, confirmando que sua especialidade é trabalhar de joelhos.

14/06/2014

às 21:48 \ Opinião

‘A tempestade perfeita sem ajuda externa’, de Rolf Kuntz

Publicado no Estadão deste sábado

ROLF KUNTZ

Não subestimem o governo. A presidente e sua turma são capazes de criar por sua conta, sem ajuda estrangeira, a tempestade perfeita prevista no fim do ano passado por alguns economistas. A perfeição viria com a mudança da política monetária americana, até então muito folgada, e o consequente aperto do mercado financeiro internacional. Lá fora o dinheiro já encareceu e os donos do capital ficaram mais cautelosos, mas os danos causados pela mudança política do Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, foram até agora muito limitados e absorvidos sem dificuldade especial. Enquanto isso, a economia brasileira continuou piorando. Foi mal no primeiro trimestre, com expansão de apenas 0,2%, e permanece estagnada no segundo. Tanto dados oficiais quanto do setor privado confirmam a deterioração. Na sexta-feira o Banco Central atualizou seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br): aumentou só 0,12% de março para abril e ficou 0,67% abaixo do anotado um ano antes. A média dos primeiros quatro meses foi 0,79% inferior à de janeiro a abril de 2013.

Se a tendência se mantiver, a expansão acumulada em 12 meses, 2,19%, será corroída. Para este ano as previsões do mercado financeiro e das consultorias têm caído e estão na vizinhança de 1,5%. Se mantiver o rumo, o governo poderá produzir um resultado tão ruim quanto esse ou, talvez, até pior.

» Clique para continuar lendo

13/06/2014

às 23:38 \ Direto ao Ponto

1 minuto com Augusto Nunes: A torcida mostrou que o apoio à Seleção não impedirá a intensificação da ofensiva contra os responsáveis pela Copa da Roubalheira

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados