Blogs e Colunistas

corrupção

07/05/2015

às 18:21 \ O País quer Saber

O balanço da Petrobras informa: entre 2004 e 2012, a corrupção na estatal saqueada engoliu R$ 110 a cada cinco segundos

29/04/2015

às 21:22 \ Direto ao Ponto

1 minuto com Augusto Nunes: Enquanto Gabrielli foi presidente da Petrobras, a estatal perdeu R$ 17 milhões por dia

Em 2010, quando José Sérgio Gabrielli ainda comandava a estatal saqueada pelos quadrilheiros de estimação, Lula conferiu-lhe o título de “Melhor Presidente da História da Petrobras”. Num artigo publicado no Globo desta terça-feira e reproduzido abaixo, o jornalista José Casado fez algumas contas que desmoralizam mais uma bazófia. Gabrielli ficou no cargo seis anos e sete meses, ou 2.370 dias.  Nesse período, a Petrobras encolheu em 41 bilhões e 200 milhões de reais.

Foram 17 milhões e 400 mil reais por dia. Ou 726 mil e 400 reais por hora. Detalhe: não entrou nessas contas a roubalheira do Petrolão. Ainda não se sabe com exatidão quantos pontapés Gabrielli desferiu no Código Penal, nem quais foram os artigos alvejados. O certo é que acabou de estabelecer um novo  recorde mundial de incompetência administrativa.

29/04/2015

às 21:19 \ Opinião

José Casado: Gestão temerária

Publicado no Globo

É recorde: R$ 17,4 milhões em perdas por dia, ou R$ 726,4 mil por hora, durante seis anos e sete meses seguidos. Essa é a herança administrativa deixada por José Sérgio Gabrielli depois de 2.370 dias no comando da Petrobras.

Na semana passada, a companhia informou que seu patrimônio encolheu em R$ 47,4 bilhões, por desvalorização de ativos e cancelamento de projetos considerados inviáveis há pelo menos meia dúzia de anos.

Desse total, R$ 41,2 bilhões têm origem em iniciativas danosas ao patrimônio da estatal anunciadas na gestão de Gabrielli (a conta não inclui o custo do repasse da corrupção).

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

28/04/2015

às 16:11 \ Opinião

Editorial do Estadão: Roubar, só na medida certa

Para quem ainda tinha alguma dúvida sobre a honestidade do governo do PT, alguém que sabe o que está falando esclareceu o assunto: “A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram”. É o que garante um dos principais aliados do PT, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, que foi ministro do Trabalho de Lula e por indicação deste permaneceu à frente da pasta no início do primeiro mandato de Dilma, até ser forçado a demitir-se pela “faxina” que atingiu vários outros ministros sob suspeita da prática de “irregularidades”. As declarações de Lupi foram gravadas durante encontro com correligionários na última quinta-feira, em São Paulo, e confirmadas ao Estado pelo próprio. Não obstante, o presidente do PT, Rui Falcão, declarou na segunda-feira que Lupi desmentiu essas declarações, alegando que “foram pinçadas” fora do contexto. E o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), reagiu acusando Lupi de ser “boquirroto”.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

27/04/2015

às 6:06 \ Sanatório Geral

Recorde histórico

“A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram”.

Carlos Lupi, ex-ministro do Trabalho de Dilma Rousseff e presidente do PDT, num encontro com integrantes do partido em São Paulo, confessando que o desempenho dos ladrões companheiros é de espantar o mais operoso dos chefões do PCC.

26/04/2015

às 18:15 \ Sanatório Geral

Xerife bandido

“O que eu fico chateado é que nunca eles vão reconhecer que o PT criou os instrumentos de investigações neste país”.

Lula, durante o palavrório no Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT, revelando que, antes de transformar a corrupção em programa de governo, o PT criou a Polícia Federal, o Ministério Público, o Poder Judiciário, o Código Penal e o presídio da Papuda.

25/04/2015

às 9:10 \ Opinião

Eliane Cantanhêde: ‘Triângulo da morte’

Publicado no Estadão

ELIANE CANTANHÊDE

O encantado balanço da Petrobrás desencantou, confirmando, agora em números, qual o primeiro e maior problema da principal companhia brasileira: a ingerência política. Foi ela, a ingerência política, que fechou o triângulo mortal da corrupção, do péssimo gerenciamento e do represamento artificial das tarifas. Deu no que deu

Essa conjunção maldita acabou com a saúde e com a imagem da Petrobrás no País e no mundo, mas o pior é que não foi uma exclusividade da Petrobrás, mas sim a marca dos anos do PT, particularmente dos anos Lula, nos órgãos públicos e nas estatais. Aparentemente, nada escapa.

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

13/04/2015

às 12:58 \ Sanatório Geral

Neurônio longe das ruas

“O combate à corrupção é meta constante do governo Dilma”.

Dilma Rousseff, em sua página oficial no Facebook, no dia em que centenas de milhares de pessoas foram às ruas combater justamente a corrupção no governo Dilma.

11/04/2015

às 17:10 \ Feira Livre

Confira horário e local das manifestações deste 12 de abril no Brasil e no exterior

Atualizado às 12h20

boopo the big panelaco

Confira os locais e os horários das manifestações:

» Clique para continuar lendo e deixe seu comentário

01/04/2015

às 13:58 \ Opinião

Almir Pazzianotto Pinto: ‘A voz verde-amarela do povo’

Publicado no Estadão

ALMIR PAZZIANOTTO PINTO

Cometerá a presidente Dilma Rousseff irreparável erro, que poderá custar-lhe o governo, se menosprezar o que se viu no dia 15 de março. Em São Paulo, a capital econômica do Brasil, concentraram-se mais de 1,5 milhão de pessoas na Avenida Paulista e nas ruas adjacentes. Em todo o país, além de 2 milhões se fizeram presentes nos protestos.

Ninguém reivindicava aumento de salários, vencimentos ou vantagem pessoal. Exigia-se, entretanto, o combate incessante à corrupção que se alastrou nestes últimos 12 anos. Os alvos eram, pela ordem, a presidente da República, atacada de surdez e cegueira diante da realidade, o Ministério anárquico, o partido contaminado, o caos administrativo, o peleguismo e o nosso alcaide. Para os jornais do dia 16/3, corrupção e “fora PT” foram os assuntos dominantes.

>> Clique para continuar lendo

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados